Fábio Costa lamenta pontos perdidos pelo Santos

Goleiro reclama dos gols perdidos ao longo dos confrontos no Brasileirão

Sanches Filho, especial para o Estadão,

26 de julho de 2007 | 20h08

Fábio Costa está inconformado com a irregularidade do Santos no Campeonato Brasileiro. Na volta dos jogadores aos treinos, na tarde desta quinta-feira, no CT Rei Pelé, menos de 24 horas depois da derrota por 1 a 0 do time contra o Goiás, em Goiânia, o goleiro foi o único jogador a falar com os jornalistas e disse que vencer o Náutico, na Vila Belmiro, passou a ser obrigação."Quando se perde muitos pontos importantes, o título fica muito difícil. Perdemos oito pontos, nas derrotas contra o América-RN [na Vila] e Goiás e no empate com o Palmeiras, em partidas em que jogamos melhor e merecíamos ganhar. Agora temos que ganhar dois ou três jogos seguidos para avançar significativamente na tabela."O que Fábio Costa mais lamenta é que o time vem jogando bem, mas não consegue fazer os gols para ganhar as partidas. "Neutralizamos a principal jogada do Goiás, que é a bola levantada na área, e voltamos a atuar bem, mas o resultado foi horrível para um time que pretende ser campeão."O goleiro concorda que o pênalti desperdiçado por Marcos Aurélio, quando o jogo ainda estava empatado por 0 a 0, foi a principal razão da derrota, mas defende o companheiro. "Não há motivo para cobrança em cima dele. Contra o Corinthians eu falhei e o time foi lá e empatou o jogo. Teria sentido se o Marquinhos ser cobrador e não treinasse", disse Fábio Costa.De acordo com o goleiro, a escolha do cobrador do pênalti foi decidida em uma conversa entre Kléber, Pedrinho e Rodrigo Tabata. "Tabata ficou fora porque jogou muito tempo no Goiás e o Harlei sabe como ele bate pênalti. E o escolhido foi Marcos Aurélio, que estava confiante no momento. Aconteceu com ele como poderia ter sido outro. E Marquinhos já cobrou outras vezes e converteu", lembrou o goleiro.A reação santista pode começar contra o Náutico, último colocado do Brasileirão, neste sábado à noite, na Vila Belmiro. Nessa partida começará uma seqüência tida como favorável, porque dos quatro próximos jogos, três serão na Vila Belmiro. Depois do Náutico, o time vai enfrentar o Atlético Mineiro, no Mineirão, e em seguida recebe o Flamengo e o Paraná.Na volta de Goiânia, o Santos driblou o caos aéreo, conseguindo um vôo às 6 horas, retornando à Baixada Santista seis horas antes do previsto. Às 16 horas, todos os jogadores se reapresentaram ao técnico Luxemburgo. Os titulares fizeram um treino de recuperação com o preparador físico Antônio Mello e os reservas enfrentaram os juniores num coletivo.Alessandro, que desfalcou o time contra o Goiás, foi liberado pelos médicos e nesta quinta correu em volta dos campos do CT Rei Pelé. Se participar do rachão da manhã desta sexta, o lateral poderá voltar contra o Náutico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.