Fábio Costa: missão dupla no Corinthians

Nesta quarta-feira pela manhã, quando Fábio Costa vestir a camisa do Corinthians, no tradicional gesto que sempre marca a apresentação de jogadores, dará início a uma fase fundamental, tanto em sua carreira como no atual momento do clube. Para o jogador é a chance de voltar aos bons tempos que o levaram a seleção olímpica, na época dirigida por Vanderlei Luxemburgo, e livrar-se, de uma vez por todas, do estigma de desequilibrado, o mesmo que marcou atletas como Edmundo, Djalminha, entre outros. Já para o Corinthians, mais precisamente para seu presidente, Alberto Dualib, a atual temporada vai ser fundamental politicamente. Novo fiasco, similar ao ocorrido no segundo semestre de 2003, quando o time terminou na melancólica 15.ª posição no Campeonato Brasileiro, classificação que o deixou fora das principais competições internacionais neste ano, pode comprometer a continuidade da atual administração. Por outro lado, Doni foi liberado e deve acertar com o Santos. A cúpula corintiana sabe que o ambiente nos corredores do Parque São Jorge é marcado pela desconfiança. Dualib sabe que boa parte daqueles que o cercam está ali por interesse e, no menor sinal de fraqueza sua, vão debandar. Dessa forma, a diretoria depositou no novo goleiro e na volta do colombiano Freddy Rincón o voto de confiança para reerguer a equipe. Os dois são, por enquanto, as maiores contratações para o grupo que, na segunda-feira, se reapresenta para iniciar a pré-temporada. Amanhã, além de Fábio Costa, será apresentado também Régis Pitbull, mais uma opção ofensiva para o técnico Juninho Fonseca. No Brasileiro, Régis defendeu o Vasco. E Aristizabal é cobiçado no Parque desde seu desligamento do Cruzeiro, segunda-feira. Dá um tempo! - Os cartolas corintianos perderam a paciência com o lateral-esquerdo Gilberto. Pela enésima vez o jogador disse que daria a resposta definitiva ao clube, o que estava previsto para acontecer hoje. Houve o contato e...surpresa... Gilberto pediu mais 10 dias para pensar. Assim, o diretor-técnico, Roberto Rivellino, deixou de considerá-lo prioridade. O clube vai atrás de outros nomes e, caso acerte com alguém antes da manifestação definitiva do ex-gremista, irá descartá-lo.

Agencia Estado,

06 de janeiro de 2004 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.