Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fábio Costa volta a pedir atenção à zaga

Fábio Costa voltou a lamentar os erros do Corinthians. Dessa vez não falou que eram dignos de um time juvenil, como depois dos 4 a 0 contra o Grêmio, mas apontou novamente a infantilidade que toma conta do time em alguns momentos. "A gente dá muita bobeira em alguns lances e isso não pode acontecer. Falamos bastante das jogadas do Palmeiras e na hora do terceiro gol deixamos que eles batessem rapidamente. Ninguém marcou. A bola chegou no Vágner Love, que deu dois dribles e deu a bola para o Muñoz marcar. Isso atrapalha muito o time."A equipe precisa de reforços e ele usa números para exemplificar. "Se um time tem nove bons, eles carregam os outros dois. Se tem oito ou sete bons, eles carregam os três ou quatro. Mas cinco bons, quatro bons não conseguem carregar o resto do time. Isso é claro."Mesmo assim, ele não aceita a posição atual da equipe na tabela. "Nós não somos o pior time do campeonato para perder jogos assim. O Gil é ruim? O Renato e o Rincón não sabem jogar? Individualmente, nós temos um time muito melhor do que os resultados que estamos apresentando, mas coletivamente não estamos jogando. É isso que está atrapalhando tudo."Apesar da fama de temperamental, Fábio Costa, pede calma. "Se a gente não tiver tranqüilidade, fica difícil superar as coisas ruins que estão acontecendo. Precisamos nos reciclar e isso só vai dar certo se estivermos em paz."Ele fala em paz e não se incomoda com as brigas que aconteceram em campo. Como a de Renato e Anderson, que ele separou, ainda no primeiro tempo. "Não existe nunca um grupo totalmente unido. Todo mundo aqui sabe que houve outros grupos do Corinthians que eram rachados, em que as pessoas não se conversavam, mas ganhavam títulos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.