Fábio Jr. não teme Justiça italiana

O Palmeiras levou um susto nesta segunda-feira. O procurador federal da Federação Italiana de Futebol, Carlo Porcedu, entrou com um pedido de punição para três jogadores brasileiros suspeitos de envolvimento no escândalo dos passaportes falsos. Um deles é o atacante palmeirense Fábio Júnior. Os outros dois são Jeda e Dedé, que jogam no Vicenza, além do argentino Gustavo Bartelt, que assim como o jogador do Palmeiras, está ligado à Roma. A preocupação faz sentido. Se a Justiça italiana acatar o pedido de Porcedu, Fábio Júnior pode ficar dois anos impedido de atuar naquele país. Além disso, os clubes em questão terão de pagar uma multa de US$ 400 mil. Porém, se a Fifa homologar a decisão, a sentença passa a valer para o mundo inteiro.Surpreso com a informação, o atacante do Palmeiras procurou mostrar-se tranqüilo. "Eu não fui avisado de nada até agora, mas não estou muito preocupado, pois estou ciente de que não tenho nada a explicar nesse caso", defendeu-se Fábio Júnior. "Eles vão continuar procurando, procurando problemas, mas não vão encontrar nada. Sempre usei o mesmo passaporte e nunca aconteceu nada de errado." Alheio aos acontecimentos, o diretor de futebol do Palmeiras, Américo Faria, afirmou que o assunto não será discutido no momento. "Estamos no meio de uma competição importante. Mas se o jogador precisar de algum coisa, o Palmeiras vai honrar com todos os acordos", explicou o dirigente, ressaltando que o contrato do jogador, que veio por empréstimo, expira no fim do ano.

Agencia Estado,

11 de junho de 2001 | 19h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.