Mauro Akiin Nassor/Light Press/Cruzeiro
Mauro Akiin Nassor/Light Press/Cruzeiro

Fábio projeta Cruzeiro forte em 2018 e celebra ano 'surpreendente'

Goleiro retomou a titularidade da meta celeste após grave lesão em 2016 e reserva no Campeonato Mineiro deste ano

Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2017 | 11h49

A Copa Libertadores se tornou uma obsessão para os clubes brasileiros nos últimos anos, mas o Cruzeiro não vai apostar as suas fichas apenas nesse torneio em 2018. Ao menos foi o que assegurou o goleiro Fábio, apontando que o time mineiro deve encarar todas as competições da próxima temporada com a mesma seriedade. Na sua avaliação, isso deixará o Cruzeiro mais próximo das conquistas.

+ Após redenção, Judivan promete foco para viver ano de conquistas no Cruzeiro

“A temporada como um todo será um grande desafio, será muito competitiva, as equipes vão se fortalecer e valorizar ainda mais as competições. Lógico que a Copa Libertadores é nossa referência, mas sabemos tudo o que é preciso em termos de planejamento, uma equipe cada vez mais forte e consistente. Todas as competições serão importantes e não podermos abrir mão de nenhuma. Quanto mais a equipe estiver jogando em alto nível em todas as competições, as possibilidades de título aumentam. Temos que ter um grupo muito forte em todos os aspectos, dentro e fora de campo, com muita qualidade em todas as posições para seguirmos firmes", disse, em entrevista ao site oficial do Cruzeiro. 

Em 2017, o time decepcionou ao cair na primeira fase da Copa Sul-Americana e ao perder a decisão do Campeonato Mineiro para o rival Atlético, mas terminou o ano em alta, pois venceu a Copa do Brasil e ainda fez campanha consistente no Campeonato Brasileiro, sendo o quinto colocado. Para Fábio, a próxima temporada deve impor ainda mais dificuldades. Por isso, ele festeja o fortalecimento do elenco com a chegada de reforços, como o centroavante Fred e o lateral-esquerdo Egídio. 

"Temos um alicerce importante, mas sabemos que, para sermos campeões, seremos mais exigidos ainda do que fomos em 2017. Temos que pegar as coisas boas e ruins desta temporada e usufruir disso para um crescimento para 2018, para as próximas competições, porque com certeza vamos encontrar ainda mais dificuldade. Vimos a dificuldade que foi neste ano, e na Libertadores, por exemplo, não será diferente", disse. 

Assim como o Cruzeiro, Fábio também teve que superar dificuldades em 2017, pois precisou se recuperar de uma grave lesão e chegou a ser reserva no Campeonato Mineiro. Depois, porém, foi decisivo para a conquista do título da Copa do Brasil. Assim, avaliou a sua temporada como surpreendente e melhor do que um sonho. 

"Foi surpreendente. Vindo do jeito que foi em 2016 (com a lesão no joelho), não podia imaginar tudo o que aconteceu na minha carreira em 2017. Finalizar uma recuperação excelente, sem receio algum ou qualquer tipo de restrição, foi maravilhoso. Sempre na virada do ano você faz planos, mas sempre há dúvidas, ainda mais vindo de uma lesão. Mas deu tudo certo, consegui jogar novamente e aconteceu uma temporada maravilhosa. Consegui voltar a jogar em alto nível e ajudar o Cruzeiro, com 37 anos de idade e 20 de carreira, com a conquista do pentacampeonato da Copa do Brasil. Não poderia ter sonhado de uma forma tão perfeita como foi", afirmou Fábio, que tem contrato com o Cruzeiro até 2019.

Tudo o que sabemos sobre:
Cruzeiro Esporte ClubeFabio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.