Fábio Santos decide e Corinthians vence o clássico

Fábio Santos foi formado na base do São Paulo, mas deixou o Morumbi pelas portas dos fundos. Em 2004, foi considerado vilão da eliminação do time tricolor na Copa Libertadores, ante o Once Caldas. Neste domingo, resolveu um clássico, mas para o Corinthians. Contratado para ser reserva de Roberto Carlos, virou titular com a saída do pentacampeão e resolveu o problema. Com um golaço de falta e outro de pênalti, garantiu a vitória corintiana sobre o Santos por 3 a 1 pela nona rodada do Paulistão. Liedson fez seu quinto gol em três jogos no Pacaembu e fechou o placar.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

20 de fevereiro de 2011 | 18h05

O Corinthians agora é o único invicto no Paulistão, tirando do Santos a mesma condição. A falta de derrotas, porém, não deixa o time na ponta. O resultado ainda mantém um tabu: o time de Parque São Jorge não perde um clássico no Pacaembu desde 2006

A vitória do Corinthians no clássico, aliada ao empate do Palmeiras com o Mogi Mirim, também neste domingo, deixa o Paulistão muito equilibrado - e bastante atraente. O time alviverde lidera com 19 pontos, mesma pontuação dos corintianos, que têm uma vitória a menos. São Paulo e Santos vêm com um ponto atrás, mas o time do Morumbi fica na frente pelo mesmo critério. O Mirassol joga mais tarde e, se vencer, deve passar à segunda posição.

Na próxima rodada, Palmeiras e São Paulo se enfrentam. Um empate ou uma vitória tricolor dão a liderança ao Corinthians, caso este vença o Prudente, sábado, às 18h30, no Pacaembu. O Santos joga no mesmo dia e horário contra o São Bernardo, na Vila Belmiro.

O JOGO - Antes mesmo da partida começar, a diretoria corintiana armou uma festa para Ronaldo. Nas arquibancadas, um bandeirão levava o rosto do jogador, que entrou no gramado para uma volta olímpica acompanhado de dois de seus filhos - Alex e Ronald. Da torcida organizada, ouviu que "Não é mole, não, o Ronaldo é mais um louco que jogou no Coringão".

A principal organizada do clube ainda soltou balões com uma faixa que dizia "Fenômeno da Fiel", decretando a paz com o ex-jogador. Ronaldo, porém, deixou o Pacaembu logo em seguida, não ficando para ver a vitória corintiana. Ele foi até os estúdios da Rede Globo para participar do programa de Fausto Silva.

Para completar a homenagem, todos os jogadores do Corinthians entraram em campo com os números da camisa remetendo ao número nove que consagrou Ronaldo. O time tinha a seguinte numeração: Julio Cesar (19), Alessandro (29), Wallace (39), Leandro Castan (49) e Fábio Santos (69); Ralf (59), Paulinho (89) e Morais (91); Jorge Henrique (79), Liedson (90) e Dentinho (92). A homenagem se estendeu aos jogadores também do banco.

Com a bola rolando, a homenagem prosseguiu. Dominando as ações no meio campo e marcando individualmente - e bem - Elano e Neymar, os dois principais jogadores santistas, o Corinthians pouco deixava o Santos jogar. Na ausência de Chicão - machucado - e Roberto Carlos, Fábio Santos assumiu a função de cobrador de faltas, como já havia sido na seleção brasileira que jogou o Mundial Sub-20 de 2005.

Aos 23 minutos, Fábio Santos abriu o placar com uma falta muito bem batida da entrada da área, mandando no ângulo esquerdo de Rafael, que se esticou todo e não conseguiu alcançar.

Mesmo muito apagado durante todo o primeiro tempo, foi Elano quem empatou o jogo para o Santos, em um lance que misturou sorte e muita competência, aos 40. O meia tentou um passe na entrada da área, foi travado e, na segunda tentativa, mudou a opção, mandando para o gol. Pegou com precisão na bola e mandou no ângulo de Julio César. Golaço.

Na volta do intervalo, indecisão sobre a extensão da pausa. Sob muita chuva no Pacaembu, acabou prevalecendo a vontade dos dois times de jogar. Mesmo debaixo de muita água, o Corinthians seguiu melhor e voltou à frente aos 16 minutos. Dentinho invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Adriano. Fábio Santos bateu no canto esquerdo, Rafael pulou para a direita e viu a bola entrar.

O placar foi ampliado aos 41 minutos. Diogo perdeu a bola no meio-campo, Ralf deu ótimo lançamento e a bola chegou para Liedson. Julio Cesar saiu mal do gol e permitiu que o luso-brasileiro o encobrisse e marcasse um golaço. Foi o quinto gol do atacante em três jogos no Pacaembu. Mesmo com a camisa 90, mostrou que tem condições de substituir a altura o Fenômeno Ronaldo com a nove nas costas.

FICHA TÉCNICA

Corinthians 3 x 1 Santos

Corinthians - Julio Cesar, Alessandro, Wallace, Leandro Castán e Marcelo Oliveira; Ralf, Paulinho e Morais (Ramírez); Dentinho (Bruno César), Liedson e Jorge Henrique. Técnico - Tite.

Santos - Rafael, Danilo (Zé Eduardo), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Possebon (Adriano), Elano e Róbson (Maikon Leite); Diogo e Neymar. Técnico - Adilson Batista.

Gols - Fábio Santos, aos 23, e Elano, aos 41 minutos do primeiro tempo; Fábio Santos (pênalti), aos 15, e Liedson, aos 41 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Raphael Claus.

Cartões Amarelos - Wallace, Ralf, Arouca, Possebon, Danilo, Edu Dracena e Elano.

Renda - R$ 577.548,00.

Público - 19.448 pagantes.

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.