Fábio Santos defende Petros e confia em absolvição

Lateral do Corinthians acredita que empurrão no árbitro Raphael Claus não foi intencional e tenta passar confiança ao meia 

Estadão Conteúdo

12 de agosto de 2014 | 13h41

O lateral-esquerdo Fábio Santos saiu em defesa do meia Petros, que será denunciado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter dado um empurrão com o cotovelo esquerdo no árbitro Raphael Claus durante o clássico de domingo contra o Santos, na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Se for condenado, o jogador pode pegar um gancho de até 180 dias de suspensão.

Fábio Santos afirmou que o meia conversou com os jogadores nesta terça-feira sobre o lance polêmico. "Ele tentou explicar o lance, disse que não foi na maldade. Ele está tranquilo. A repercussão foi muito grande. É óbvio que sente um pouco, ele veio de uma equipe pequena, mas tentamos passar tranquilidade e confiança que, no final, tudo dará certo", afirmou o lateral-esquerdo em entrevista coletiva.

Fábio Santos afirmou que Petros vive um grande momento, fazendo um função tática muito importante. O lateral-esquerdo lembrou até do papel que era desempenhado por Jorge Henrique, que tinha obrigação de atacar e também de marcar. "Vamos torcer para que ele não perca nenhum jogo."

O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, vai denunciar Petros nesta semana com base em imagens da televisão no parágrafo 3 do artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. A pena mínima é de 180 dias de suspensão em caso de agressão "praticada contra árbitros, assistentes ou demais membros de equipe de arbitragem".

O fato novo é que o juiz da partida, Raphael Claus, fez um retificação na súmula depois de rever o lance pela televisão. Agora, o árbitro afirma que Petros o atingiu "de maneira intencional". O julgamento ainda não foi marcado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansFábio SantosPetros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.