Fábio Santos prevê clima de pressão em São Januário

O lateral-esquerdo Fábio Santos avaliou nesta terça-feira que o Corinthians deverá enfrentar um clima adverso no seu próximo compromisso no Campeonato Brasileiro. No domingo, a equipe vai encarar o Vasco, no Estádio de São Januário, e o jogador acredita que ainda estará na memória da torcida adversária as quartas de final da Libertadores, quando o time paulista eliminou o carioca.

FÁBIO HECICO, Agência Estado

31 de julho de 2012 | 12h17

"Devem estar bravos, chateados. É normal por terem sido eliminados por nós. Mas o Vasco hoje é a melhor equipe do futebol brasileiro. Aquele jogo do Pacaembu [vitória por 1 a 0] foi o mais difícil da Libertadores, o mais complicado. Eles são os principais candidatos ao título e vão recepcionar a gente não muito bem", disse.

Invicto há cinco rodadas, com três vitórias e dois empates, o Corinthians ocupa a nona colocação no Campeonato Brasileiro, com 16 pontos, exatamente 16 a menos do que o líder Atlético Mineiro. Por isso, Fábio Santos reconhece que o Corinthians terá dificuldades para defender o título nacional de 2011.

"Não dá para falar que é impossível, mas muito difícil, sem dúvidas. Dezesseis pontos são 16 pontos. É difícil, a gente ganhar todos os jogos e eles tropeçarem. A gente vem falando para manter padrão, retomamos o que vínhamos apresentando. Importante é ir somando pontos para ver até onde podemos chegar. Pensamos em títulos sim, mas 16 pontos é bem difícil", disse.

Fábio Santos também admitiu que a disputa do Mundial de Clubes, no Japão, em dezembro, não sai da cabeça dos jogadores Corinthians, mas garantiu que o time não vai diminuir o ritmo no Campeonato Brasileiro em razão disso. "Claro que está em agosto, daqui a pouco vamos ao Japão. Sem dúvida, para chegar bem lá, tem de fazer um bom Brasileiro, boas apresentações. Mas nunca vamos deixar de pensar", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.