Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Fagner nega ser violento e diz que caráter intacto é exemplo para o filho

Lateral diz que críticas são feitas apenas por quem não gosta dele

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 Março 2018 | 19h24

Convocado para a seleção brasileira, o lateral-direito Fagner, do Corinthians, desabafou nesta segunda-feira, em entrevista coletiva realizada no CT Joaquim Grava, contra a fama de ser violento. O jogador falou em caráter e disse que as críticas ocorrem de quem não gosta dele e que os números mostram que ele não é um jogador desleal.

+ Convocações para seleções devem desfalcar o Corinthians no Paulistão

+ Carille avalia o Bragantino, próximo rival no Paulistão: 'time chato'

Em 233 jogos pelo clube, Fagner levou 52 cartões amarelos e foi expulso três vezes. “Seria legal se desse para colocar esses números. Infelizmente, a gente vive em um mundo em que você é julgado por uma atitude e não por um contexto geral. Tive duas ou três expulsões em 150 jogos, menos de uma por ano de clube, mas infelizmente, tem pessoas que não gostam de você e que vão falar coisas ruins. O importante é meu caráter, que está intacto. E o exemplo que passo para o meu filho. Quem quer falar mal, não posso fazer nada”, disse o lateral, chamado por Tite para os amistosos contra a Rússia e Alemanha.

O lateral ficou taxado como violento em decorrência de alguns lances mais duros ocorridos em confronto contra adversários. “Jesus não agradou todo mundo, não é o Fagner não vai agradar”, comparou o jogador, que mais uma vez foi dar entrevista coletiva ao lado do filho, Henrique, que já se tornou conhecido no CT por sempre estar presente nos treinamentos.

O menino, inclusive, chama a atenção pela habilidade com a bola no pé. Ele ingressou no time Sub-8 do Corinthians, para orgulho do pai. “É gratificante ver a paixão do Henrique (filho dele) pelo futebol e o pai não estar forçando a situação. Ele tem condição de ir longe, mas vai depender só dele. Espero que ele consiga conquistar o mundo”, disse Fagner, sem esconder o orgulho pelo filho.

Mais conteúdo sobre:
Fagner [futebol] Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.