Fahel minimiza cobranças da torcida do Botafogo

O volante Fahel já disputou 100 partidas pelo Botafogo e foi titular com todos os técnicos que passaram pelo time, mas continua sob desconfiança dos torcedores. Vaiado durante a partida contra o Vitória, ele garante que não se incomoda com a pressão e as cobranças, mas espera conquistar o apoio dos botafoguenses.

AE, Agência Estado

28 de outubro de 2010 | 12h38

"Tenho respeito e consideração pela torcida, mas procuro me blindar um pouco, pensar apenas em fazer o melhor pelo Botafogo. Tenho o apoio da diretoria e dos atletas e tenho correspondido à expectativa da comissão técnica. Confio no meu potencial. Se cheguei até aqui, foi com trabalho e sacrifício. Tenho certeza de que vou fazer história com esse grupo e ver a torcida comemorar", disse.

Fahel citou as campanhas do Botafogo nos últimos anos para mostrar que é um bom jogador. "Estou no Botafogo há dois anos, disputei dois cariocas, fui segundo em um e campeão no outro. Agora, estou brigando pelo Libertadores e pelo título. São dois anos proveitosos, então sou um jogador vitorioso, pude marcar história no clube. Não dá para agradar todo mundo, mas procuro honrar a camisa do Botafogo", afirmou.

Apesar da pressão, Fahel garante ter interesse em permanecer no Botafogo na próxima temporada. "É claro que meu planejamento é continuar, pois tenho contrato até 2011, mas a minha cabeça está neste fim de ano, em conseguir, no mínimo, uma vaga na Libertadores. Quando você consegue objetivos, ganha moral com torcida e diretoria, é mais fácil para negociar uma permanência, se for preciso", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.