Falcão faz primeiro treino como titular

Falcão ganhou a chance que tanto esperava. Hoje à tarde, o ex-jogador de futsal ganhou das mãos do técnico Emerson Leão o colete de titular para o coletivo. Um sorriso estampado no rosto dizia tudo. Aquele era o momento dele mostrar ao treinador que tem condições de seguir no São Paulo. "Essa é a hora de provar por que vim. Chegou o momento em que eu não quero mais jogar apenas os 10 minutos finais e quando o placar já tiver dois, três a zero para o São Paulo. Não quero dar show. Quero poder sair do banco para resolver os problemas do Leão quando ele precisar.Se fosse para me avaliar, diria que meu treino foi bom", afirma Falcão. O novo xodó da torcida são-paulina fez o papel de meia, no lugar de Vélber. Leão, aos poucos, parece se render definitivamente ao esquema 3-5-2. Hoje, com Lugano se recuperando de uma gripe, a zaga foi formada por Fabão, Alex e Rodrigo. Josué e Mineiro como volantes e na meia: Falcão. Na frente, Diego Tardelli e Grafite. "Hoje foi só o primeiro passo para eu me soltar mais daqui para frente. O Leão me deixou a vontade para criar, para jogar, cair pelos dois lados do campo...Também me cobrou demais. Sempre estava alí do meu lado falando na minha orelha e conversando. Se ele me cobrou é porque posso ser útil", concluiu. O coletivo teve duração de pouco mais de uma hora, dividida em dois tempos. Falcão foi "convocado" por Leão para cobrar os escanteios e também se arriscar nas faltas. Apesar de todo o entusiasmo, ele se mostra com os pés no chão. "Isso (treinar de titular) não quer dizer nada. Esse treino serviu apenas como ambientação. Apesar de o Leão dizer que faria testes com alguns jogadores nesta semana, ele me pegou de surpresa. Nem imaginava que isso pudesse acontecer hoje. Mas claro que fiquei muito ansioso por ser a primeira vez que treinei no time de cima", comemorou. Falcão disse que está nas mesmas condições físicas do restante do elenco do São Paulo. É verdade que ele começou a trabalhar antes dos outros jogadores voltarem de férias. Um período de extrema importância para que ele esteja no mesmo nível dos outros. "Só no começo eu tinha uma carga maior de musculação, agora estão todos no mesmo ritmo de treinos. Estou conseguindo acompanhar sem problema. Não sinto diferença", garante. Porém, Falcão sabe que os dois favoritos à vaga no meio-de-campo continuam sendo Vélber e Danilo. "Eu tenho características bastante diferentes dos dois. Mas talvez o Leão esteja pensando em me usar lá mais para a frente. Só que eu não sei quando pode acontecer isso. Não sei se já pode ser no sábado - quando o São Paulo encara o União Barbarense, em Santa Bárbara - ou daqui a 10, 20 dias. O Leão saberá o momento certo de me utilizar", explica Falcão, muito esperançoso. Independentemente de Falcão ser ou não titular do São Paulo, ele já considera essa experiência completamente diferente do que havia acontecido no Palmeiras e Portuguesa. "O carinho é outro. Aqui, estou passando por um processo de lapidação. Não dá nem para comparar com o que aconteceu nos outros clubes. Hoje, aqui no São Paulo, tenho um planejamento voltado exclusivamente para mim."

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2005 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.