Falcão nega surpresa na escalação, mas não revela time

Cinco dias depois de assumir o comando do Inter, Falcão só teve tempo de comandar quatro treinamentos. Três deles foram fechados à imprensa, para permitir que o novo técnico colorado trabalhasse novas formações da equipe. Ainda não o suficiente para apresentar grandes novidades no jogo deste sábado contra o Santa Cruz, pelas quartas de final do segundo turno do Gauchão.

AE, Agência Estado

15 de abril de 2011 | 20h11

"Não tem como ter muitas surpresas. Ninguém faz milagre em um mês, dois meses, imagina em cinco dias. Não terá nenhuma mudança drástica no time. Queremos apresentar algo diferente, modificar algumas coisinhas. Estou com o time definido. Todo mundo já imagina qual vai ser", disse Falcão, em entrevista coletiva nesta sexta.

A se manter o que se viu no único treinamento aberto, o time terá Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber na linha de defesa (Índio deixaria a equipe), Bolatti e Guiñazu na cabeça de área, Andrezinho pela direita, D''Alessandro na esquerda e Damião e Sobis no ataque. Oscar, que vem colecionando boas atuações, está machucado. Zé Roberto ainda pode substituir Andrezinho na briga por esta vaga.

Se Zé Roberto jogar, aliás, o time passa a atuar com três atacantes. "Fizemos duas alternativas, com 4-4-2 passando para o 4-3-3, que é uma alternativa que pode aparecer. Não quero ter muitas variantes. Gosto do time bem definido. O mais importante do que a esquematização tática é fazer um time compactado. Quero que os jogadores fiquem juntos", explicou Falcão.

Depois de enfrentar o Santa Cruz, o time já se prepara para pegar o Emelec, em mais um jogo decisivo, desta vez pela Libertadores. Com pouco tempo no comando do Inter, Falcão aproveita cada treinamento para acertar o time. "Temos um tempo pequeno de preparação para duas decisões, mas temos que aproveitar o máximo possível. Temos que buscar o resultado já neste sábado", disse.

Entre as duas decisões, a prioridade é pelo Gauchão: "Priorizei o jogo contra o Santa Cruz, que é um adversário que joga forte. É claro que não dá para deixar de pensar no Emelec, pois é um jogo em cima do outro. No momento o mais importante é a vitória, pois sem ela a gente não passa á próxima fase", analisou Falcão. Como o Grêmio faturou o primeiro turno, o Inter precisa vencer o segundo para decidir o estadual contra o rival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.