Falência da ISL preocupa japonenses

A falência da ISMM-ISL, maior grupo de marketing esportivo do mundo, deixa os japoneses alarmados. Os organizadores da Copa de 2002 - em conjunto com a Coréia do Sul - temem que a quebra da principal parceira comercial da Fifa possa provocar problemas financeiros que influam no cronograma da competição. A multinacional suíça é responsável pela busca de patrocinadores para os Mundiais de 2002 e 2006, além de deter parte dos direitos de transmissão pela televisão. "As negociações ficam interrompidas", lamentou Yuji Kumachi, presidente do Comitê Organizador Japonês.Na Fifa, também soou o alarme. A entidade que controla o futebol no mundo garante que não há "nenhum risco" de interrupção nos eventos que organiza. "Não há perigo para a Copa", avisou o porta-voz Andreas Herren. "A Fifa está protegida por vários alternativas que garantem suas atividades", sustentou. "No caso da televisão, se a ISL não tiver como voltar a sua rotina, os direitos retornarm totalmente para nossa entidade."De qualquer forma, o presidente Joseph Blatter já acionou sua Comissão de Emergência. Trata-se de um grupo de notáveis que se reúne em situações extraordinárias e para deliberações rápidas. Só não está ainda decidida a data para encontro, embora na sede da entidade se falasse, nesta quinta-feira, na possibilidade de o encontro ser realizado nesta sexta-feira ou no máximo até segunda-feira.A multinacional ISMM-ISL anunciou que vai recorrer da decisão da justiça de Zoug, na Suíça. Os executivos da empresa têm esperança de reviravolta no caso, antes de ser emitida a sentença definitiva a respeito de sua situação. Os reflexos da falência do grupo já se sentiram no Brasil, com a ruptura do contrato de parceria que a ISL tinha com o Flamengo. O acordo deveria durar 15 anos, mas não passou de 15 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.