Divulgação
Divulgação

Falta de dinheiro põe Itaquerão em risco

Liberação de R$ 400 milhões do BNDES e incentivos da prefeitura demoram e podem comprometer obras

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2012 | 11h28

SÃO PAULO - Um dia depois de anunciar que a construção do Itaquerão atingiu 51% de execução, a Odebrecht admitiu oficialmente ontem que o ritmo das obras pode ser comprometido. Dois fatores contribuem para o risco: a demora na liberação, por parte do BNDES, via Banco do Brasil, do empréstimo de R$ 400 milhões para a arena, além de não ser possível dispor dos R$ 420 milhões em incentivos da Prefeitura por meio dos Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs), igualmente ainda não liberados.

Na empresa, a situação é definida como “preocupante’’. Nas últimas semanas, comentou-se até que se o dinheiro não estivesse disponível até o início de outubro, a obra poderia até parar. A Odebrecht não chega a tanto. Mas já reconhece problemas com o fluxo de caixa.

A linha de crédito do BNDES foi aprovada em julho. O dinheiro, porém, não saiu por falta de garantias. “A demora deve-se a algumas questões referentes ao pacote de garantias exigidas para o financiamento ao Fundo de Investimento Imobiliário (FII), detentor dos direitos do estádio’’, informou a construtora por meio de comunicado.

A nota diz que, em comum acordo com o Corinthians, a Odebrecht já desembolsou todos os recursos equivalentes ao financiamento do BNDES, “por meio de garantias e recursos próprios’’. Dá a entender que os R$ 400 milhões estão sendo utilizados. Esse dinheiro estaria no final.

Sabe-se que a empresa já recorreu a dois empréstimos – um de R$ 150 milhões, contraído com o Banco do Brasil, e outro de R$ 100 milhões, com o Santander.

No Corinthians, dirigentes consideram que a gritaria da Odebrecht seria uma forma de tentar pressionar o Banco do Brasil a liberar o dinheiro.

O Banco do Brasil, responsável por repassar o dinheiro ao fundo – e depois por fazer os pagamentos ao BNDES – cobra do clube e da construtora garantias de que o empréstimo será honrado antes de proceder a liberação. No BNDES, a informação é que o processo está em andamento, sem precisar data para a conclusão.

Em relação aos CIDs, na Prefeitura a informação é que os estudos para a emissão dos documentos estão em “fase final’’. A Odebrecht admite ser este “outro fator preocupante’’ e que “poderá interferir no ritmo das obras’’.

O prazo de conclusão do Itaquerão é dezembro de 2013. O estádio será palco da abertura da Copa de 2014. / COLABOROU VÍTOR MARQUES

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansItaquerãoCopa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.