Falta de gols põe Batistuta em xeque

Por nove temporadas, Gabriel Batistuta foi um dos mais letais atacantes do futebol italiano. Com a camisa da falecida Fiorentina, fez quase 200 gols e se transformou no objeto de desejo dos rivais. Depois de muita insistência, a Roma conseguiu contratar o ?matador? argentino para reforçar o time na campanha do título de 2000-2001. Mesmo com atuações abaixo do normal, e com algumas contusões, deixou sua marca 18 vezes nas redes rivais. Mas faz mais de um ano que ?Batigol? mostra que não é o mesmo. Os gols têm surgido com menor assiduidade, problemas musculares o levam a freqüentar muito a enfermaria do clube e nem sempre se garante como titular.Para complicar, o início da temporada de 2002-03 foi ruim - para a equipe e, por extensão, para o centroavante, que voltou do Mundial da Ásia com um gol (na estréia, contra a Nigéria), mas abalado com a desclassificação da Argentina ainda na primeira fase. Até agora, festejou apenas um gol nas partidas oficiais que a Roma disputou, pouco para quem sempre foi o terror dos zagueiros.O desconforto chega à torcida. Os ?romanistas? andam bravos com a equipe, ameaçaram alguns jogadores, chegaram a agredir o francês Zebina e no meio da semana pediram para o técnico Fabio Capello deixar Batistuta no banco. Ambos reagiram imediatamente. "Não há crise", garantiu o atleta. "Voltarei logo a marcar gols", prometeu o artilheiro, de 33 anos e que há dois não marca em torneios europeus. "Não tem sentido tirá-lo do time", retrucou o treinador. "Ele tem perdido chances de gol, assim como todo o time. O importante é que crie."Capello, no entanto, faz mistério e até o final da tarde desta sexta-feira não havia confirmado presença de Batistuta na partida com a Udinese, neste sábado, na abertura da quarta rodada do Campeonato Italiano. O mais provável é que insista com o veterano atacante, como forma de apostar na recuperação do time. A Roma largou muito mal, com duas derrotas seguidas e deu primeiro sinal de recuperação ao bater o Modena por 3 a 2, na semana passada, mas no sufoco. A Udinese faz campanha regular, com um empate, uma vitória e uma derrota.Outro jogo antecipado para este sábado será entre Reggina (1) e Brescia (3) - times que têm como objetivo não ser rebaixados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.