Falta sintonia no S.Paulo de Oswaldo

O técnico Oswaldo de Oliveira teve hoje seu primeiro problema no São Paulo: a falta de sintonia com o médico do clube José Sanchez e o atacante França. Na verdade, ninguém conseguia falar a mesma língua quando o assunto era a volta do jogador no clássico de domingo, contra o Palmeiras, em São Caetano, pelo Supercampeonato Paulista. Enquanto França adiantava para os jornalistas que não participaria do jogo - vem se recuperando de uma contratura muscular na coxa direita e não atua há 21 dias -, o médico mantinha um discurso otimista, de que havia uma pequena esperança de aproveitá-lo. "Há uma possibilidade de ele jogar, mesmo que mínima", disse Sanchez. Já Oswaldo, era direto. "Vamos observá-lo amanhã, no coletivo. Se estiver bom, vai jogar," garantia. Mas França surpreendeu seus comandados ao, antes do fim do treino, anunciar que não iria atuar domingo. "Não tem como jogar, sinto muitas dores na hora de chutar e certos movimentos ficam limitados", revelou França. E surpreendeu ao dizer que "o Oswaldo me deixou à vontade para decidir quando voltar." Quando souberam da decisão de França, Sanchez e Oswaldo, espantados, foram obrigados a consertar suas declarações. "Nosso objetivo era o de deixá-lo bom, não definindo que isso aconteceria para este ou aquele jogo", afirmou Sanchez, sem graça. Nova resposta e a confirmação. "É, de fato ele não está bom, a contusão está cicatrizada, mas isso não significa que pode jogar. Confiamos muito nele e se está dizendo que dói, é verdade." "Vai ver o pessoal do físico e os médicos viram que ele não tem condições de jogo", limitou-se a dizer Oswaldo, frustrado pela falta de informação.França sofre com o processo inflamatório, decorrente da fibrose formada pela cicatrização da lesão, o que lhe causa muita dor. E os problemas do treinador não param por aí. Além de Rogério, Belletti e Kaká, na seleção, ele também não contará com Gabriel e Emerson, machucados. Define o time no coletivo de amanhã. E sem surpresas. Roger será o goleiro, Rafael o lateral-direito e Dill o atacante. Na zaga, Reginaldo atua ao lado de Jean.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.