Família de torcedor morto quer indenização

A família do torcedor do Internacional, Anderson Livi, então com 16 anos, morto em decorrência de incidente ocorrido no jogo contra o Juventude, em 19 de maio do ano passado, em Caxias, pelo Campeonato Gaúcho, entrou na Justiça com um pedido de indenização contra o Juventude e o Estado do Rio Grande do Sul. O valor total pleiteado é de R$ 1 milhão, mais uma pensão mensal de quatro salários mínimos até o ano 2051, quando Anderson completaria 65 anos. Anderson Livi morreu em decorrência de ferimento na cabeça, seis dias depois da partida. Não se sabe ainda se ele foi atingido por uma pedrada ou teria batido a cabeça na arquibancada após a explosão de uma bomba de fabricação caseira, nas proximidades. Logo após o incidente foi assinado um termo de ajustamento entre o Ministério Público, Brigada Militar e os clubes de Caxias do Sul, prevendo a instalação de câmeras nos estádios, proibição da comercialização de bebidas alcoólicas, extinção de torcidas organizadas, e outras providências para acabar com a violência. Depois disso nunca mais houve nenhum incidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.