Família tenta proteger Maradona

A Clínica Suíço-Argentina anunciou nesta sexta-feira que Diego Armando Maradona não está mais conectado aos aparelhos de respiração artificial e utiliza apenas uma máscara de oxigênio. Segundo o comunicado oficial, o astro argentino está melhorando de forma "notável". Por este motivo, os médicos também decidiram reduzir o volume de sedativos que estavam sendo aplicados no abalado organismo do ex-jogador.Maradona completou nesta sexta-feira o seu sexto dia internado. Ele chegou ao hospital no domingo à noite, tremendo e suando muito - desde então, está inconsciente. Segundo a clínica, ele estava com uma pneumonia que atualmente apresenta uma evolução satisfatória. No entanto, para os analistas esportivos e os "maradonólogos", o ex-jogador teria tido no fim de semana passado uma overdose de cocaína. Do lado de fora da clínica, na avenida Pueyrredón, no bairro de Palermo, cerca de 200 fãs - entre eles, diversos provenientes do interior do país - permanecem em vigília aguardando que Maradona acorde e mostre sinais de recuperação.Flagra - A cada dia que passa, desde a sua internação, um novo escândalo surge ao redor de Maradona. Nesta sexta-feira o jornal esportivo espanhol "Marca" anunciou que havia recebido ofertas de um argentino que pretendia vender fotos do astro na UTI. Essa pessoa, que mandou uma imagem como prova , pediu 6 mil euros de pagamento.A revista "Paparazzi", de Buenos Aires, também confirmou que recebeu uma oferta similar. No entanto, tanto o jornal espanhol como a revista argentina rejeitaram a proposta."Não é nossa linha editorial", explicou o sub-diretor do "Marca", Juan José Diaz. "Eu disse que antes de tudo, era preciso ver as fotos. E nunca mais me ligaram", explicou Luis Ventura, diretor da "Paparazzi".Muy amigo - Além disso, nesta sexta-feira, o jornal argentino "Página 12" publicou uma investigação que indica que o ex-manager de Maradona, Guillermo "Guillote" Coppola, estaria tentando realizar negociatas com as procurações que ainda tem assinadas pelo ex-jogador e que ainda não haviam sido anuladas.Na dúvida se Maradona sobreviveria à esta nova crise de saúde, Coppola, segundo o jornal, estava tentando vender algumas propriedades do ex-jogador, utilizando as procurações que ainda tem em seu poder. O empresário foi o assessor plenipotenciário do astro durante longos anos, podendo fazer o que quisesse.Coppola é considerado por muitos fãs como o grande responsável pelo atual estado de Maradona. Integrantes de "La Doce", uma torcida organizada do Boca Juniors, já prometeram uma punição ao empresário. A promessa mais "light" foi a de "dar uma sova" nele e expulsá-lo do país.Proteção - Para evitar que um novo Coppola possa se aproximar de "El Diez", a ex-esposa de Maradona, Claudia Villafañe, e suas filhas Dalma e Gianinna montaram um verdadeiro "círculo de ferro", que filtra todo tipo de visitas ao andar onde o astro está internado.A idéia é "limpar" o círculo de amizades que nos últimos anos forneceram a Maradona drogas, bebidas e mulheres. No início da semana, a filha mais jovem do ex-jogador, Gianinna, de 14 anos, ordenou a saída categórica de um grupo de amigos de seu pai que estava bebendo cerveja nos corredores da clínica.No meio da semana, sua irmã, Dalma, de 17 anos, ligou ao apresentador sensacionalista Mauro Viale quando este apresentava seu programa na TV. Ao vivo, disparou: "Você aí diz que é amigo de meu pai? Pois bem. Então deixa de dizer ´boludeces´ (idiotices) e inventar histórias para conseguir mais um ponto de ibope. Você já sugou demasiado o sangue de meu pai!".As meninas, inclusive, fizeram um pedido aos fãs de Maradona. Em uma carta, elas pedem que seja cancelada uma manifestação organizada pelos torcedores do Boca Juniors neste sábado, na frente da clínica. O temor é pelo barulho que tal encontro possa causar, perturbando o ex-jogador e os outros pacientes.Enquanto isso, a mãe das iradas meninas, Claudia, está preparando o ambiente no qual Maradona terá que se recuperar de sua dependência das drogas. O projeto, afirmam os "maradonólogos", é que a família seja exclusivamente seu âmbito de contenção emocional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.