Jorge Adorno|Reuters
Jorge Adorno|Reuters

Familiares recebem corpo de paraguaio vítima de acidente aéreo

'Meu marido morreu fazendo o que era apaixonado', lamenta

O Estado de S. Paulo com AP

02 de dezembro de 2016 | 12h06

Raquel Coronel e seus três filhos receberam nesta sexta-feira o corpo do paraguaio Gustavo Encina, tripulante que morreu em acidente de avião da empresa LaMia na Colômbia, no Aeroporto Silvio Pettirossi, em Luque, nos arredores da capital Assunção. 

"Meu marido morreu fazendo o que era apaixonado: trabalhar com aviação. Amava seu trabalho", disse a viúva de Gustavo Encina. 

Ela também recordou que no dia 28 de novembro, antes de ele embarcar no voo que transportava a equipe da Chapecoense para Medellín, o marido lhe telefonou para dizer que a partida tinha sido adiada por uma questão de autorizações internacionais. "E me disse que em sua volta traria presentes para o Natal", contou.

 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolChapecoenseAcidente Aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.