Fantasma do desmanche ameaça o Paulista

Toda serenidade e experiência do técnico Zetti não foram suficientes para evitar que o assunto "negociação" passasse a fazer parte do dia-a-dia do time do Paulista no momento decisivo que antecipa a disputa do inédito título paulista. Domingo, o time precisa vencer por três gols de diferença para conquistar o título diante do São Caetano e o tema das conversas no Estádio Jaime Cintra é a transferência do meia Canindé e o interesse de vários clubes por outros jogadores do elenco. Logo após a decisão, pode haver um desmanche no time de Jundiaí.Pela boa campanha que vem realizando neste Paulistão, o treinador Zetti acredita que será inevitável que parte do elenco - uns cinco ou seis jogadores - saia do clube. Reforçando sua intenção de permanecer em Jundiaí, Zetti já avisou que tem vários nomes que podem ser contratados para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B.O primeiro a sair é o meia Canindé que vai defender o time do Paraná no Brasileiro da Série A. A informação foi divulgada pelo empresário e presidente do time do Iraty, Sérgio Malucelli. Para Ico Martins, procurador do ex-jogador do Santos, a divulgação foi precipitada, pois ainda restam alguns acertos e a assinatura do contrato.Quem também não gostou foi o técnico Zetti. Desde que começou a fase final do Paulistão, o treinador procurou deixar claro que não gostaria de ouvir jogadores falando sobre possíveis transferências, muitas vezes, segundo ele, apenas especulação. "Já passei diversas vezes por momentos como esse. Na hora da decisão aparece um monte de empresários com várias propostas e claro que isso mexe com a cabeça do atleta. Eu orientei o tempo todo para que mesmo em seus momentos de folga, os jogadores não se envolvessem em negociações. É prejudicial para o jogador e para o time", avisa Zetti.Além de Canindé, o meia Aílton deve retornar ao São Paulo, o lateral Galego pode ir para o Grêmio, de Porto Alegre, e o goleiro Márcio, que pertence ao São Paulo, está sendo pretendido pelo Vasco da Gama.O que era orientação por parte de Zetti, virou determinação para todos os jogadores. "Alguns ficam sonhando com um futuro melhor e esquecem do presente. Por causa disso, já vi muita gente não fechando absolutamente nada depois de uma decisão, pois não rendeu o que poderia. Negociação é palavra proibida por aqui".Além da partida decisiva contra o São Caetano, domingo às 16 horas, no Pacaembu, o Paulista tem que se preocupar em ter um elenco pronto para a estréia no Brasileiro da Série B, no dia 24, contra o Santo André, no ABC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.