Farah não acredita em resistência

Embora não tenha conversado com outros presidentes de federações, Eduardo José FarahFarah não acredita que haja uma resistência de seus colegas ao novo calendário do futebol brasileiro apresentado hoje pela CBF. Sobre a oposição do presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Fferj), Eduardo Viana, ele foi irônico: "Eduardo é um homem inteligente e deve ter as suas razões. Algumas federações estão em dificuldade." Hoje, pela primeira vez em seis anos, Farah voltou a participar de encontros para decidir o destino do futebol brasileiro, ao lado do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, de quem sempre foi adversário. "Não houve reaproximação porque nunca houve briga. Mas as divergências continuam", definiu. Ainda garantiu não ser candidato a suceder Teixeira, que garante não tentar a reeleição. "Não sou candidato e não apoio ninguém."

Agencia Estado,

26 de junho de 2001 | 19h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.