Farah: Paulistão ainda pode mudar

A Federação Paulista de Futebol já divulgou a tabela do Campeonato Paulista de 2003. Mas o torneio de 12 datas poderá aumentar caso o calendário do ano que vem seja modificado pela CBF. Nesta quarta-feira, o presidente Eduardo José Farah assinou um convênio com a Liga Sul-Minas, comprometendo-se a garantir a arbitragem dos jogos, caso a CBF se negue a fazê-lo."Estou com grandes esperanças de realizar o Rio-São Paulo. Dessa forma, executaríamos algumas mudanças no Paulistão", diz Farah.O campeonato de 2003 está previsto para dois meses, com a primeira rodada em 26 de janeiro. A fase de classificação irá até 23 de fevereiro e o octogonal final até 23 de março, dia do segundo jogo das finais. Os clubes foram divididos em três grupos de sete e para a fase final estarão classificados os dois primeiros de cada grupo mais os dois melhores terceiros colocados por índice técnico, somando então oito times. Os estreantes da A-1 em 2003 serão o Juventus e o Marília."Estou convencido de que a competição vai ser um sucesso. E tenho um argumento forte. Esta será a única oportunidade para o torcedor paulista assistir ao confronto entre Corinthians e Palmeiras. Quer atração melhor do que essa?", lembra o presidente da FPF.Como o Corinthians não disputará a Copa do Brasil - estará competindo na Libertadores - e o Palmeiras está fora da Série A do Brasileiro porque foi rebaixado, os dois times não se enfrentarão no próximo ano fora do Paulistão.De acordo com a Carta de Intenções que Farah assinou com o SBT para a transmissão dos jogos do Campeonato Paulista, a tabela inclui jogos às 11h e 18h de domingo. Na primeira rodada, por exemplo, Jundiaí e São Paulo jogarão às 11h e Marília e Corinthians, às 18h. Esses horários especiais foram determinados a partir de um interesse comum entre a FPF e o Sistema Brasileiro de Televisão. Como havia prometido, Farah limitou o horário das partidas de quarta-feira para 21h. O dirigente considera jogos às 21h40 prejudiciais ao conforto do torcedor, por questões de segurança e falta de transporte adequado."A Carta de Intenções entre a FPF e o SBT também prevê a possibilidade de aumentarmos a duração do Paulistão para 19 datas. Nesse caso, o pacote da tevê custará mais caro", explica o dirigente.Farah diz que desconhece qualquer iniciativa da Rede Globo para transmitir o Campeonato Paulista. E continua disposto a cumprir seu acordo com o SBT. "Acho que a diversificação dos canais de tevê seria excelente para o futebol brasileiro."A questão do calendário para 2003 continua confusa. As Ligas Sul-Minas e Centro-Oeste insistem em realizar os torneios regionais depois dos estaduais. E isso inviabilizaria o projeto da CBF, que pretende começar o Campeonato Brasileiro entre fim de março e começo de abril. Farah não está pressionando pelo Rio-São Paulo, mas apóia a iniciativa das duas ligas. E se o calendário mudar, deixando o Brasileiro para o segundo semestre, ele já tem o apoio dos clubes para fazer o Rio-São Paulo, com oito equipes. Os representantes paulistas, a princípio, serão os quatro mais bem classificados no Paulistão."Vamos ajudar a Sul-Minas a fazer o torneio, oferecendo a arbitragem, caso a CBF não queira assumir esse compromisso", promete Farah. A Liga Centro-Oeste, que entrou no STJD para defender sua competição, não solicitou, por enquanto, a ajuda da FPF. "Ajudaremos quem for possível", garante o dirigente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.