Farra na noite abre crise no Olimpia

Uma escapada noturna de alguns jogadores motivou a renúncia do presidente do Olimpia, Osvaldo Dominguez, e mergulhou o clube em crise às vésperas da decisão da Libertadores. "Estou cansado deste elenco, de jogadores sem auto-estima, que têm muito dinheiro, mas não vontade de ganhar, e que preferem amanhecer com prostitutas", disse o dirigente. Ele não divulgou os nomes dos estiveram em uma discoteca especializada em músicas mexicanas e argentinas, mas outro cartola mencionou os nomes do capitão Enciso, além de Báez e Estigarribia. Ninguém, no entanto, informou quando teria se dado a escapada.Osvaldo Domingues disse ainda que Orteman, Báez e Isasi "desapareceram" na partida de quarta-feira passada, no estádio Defensores del Chaco, na derrota por 1 a 0 para o São Caetano. "O Olimpia jamais perdeu em casa numa final da Libertadores", recordou. "Me disseram que eles jogaram machucados. Isso não pode acontecer. Um jogador machucado não pode entrar em campo. Acho que eles mentiram aos médicos porque o prêmio de US$ 1 milhão pelo título lhes foi mais atraente."O ex-presidente foi duro nas críticas. "Não tenho lágrimas de crocodilo para suportar a irresponsabilidade desses sem-vergonhas, a quem não devo um centavo sequer", reclamou. O filho mais velho de Dominguez, Julio Osvaldo, assumiu a direção, mas somente por um mês, para convocar assembléia extraordinária para eleição de nova diretoria.Os jogadores do time paraguaio devem chegar na noite desta segunda-feira a São Paulo para o jogo final contra o time do ABC. O técnico da equipe, Nery Pumpido, disse que a princípio vai manter o mesmo time que foi derrotado na semana passada em Assunção por 1 a 0, com exceção de uma alteração. ?Entra o meia Víctor Quintana no lugar de Juan Carlos Franco?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.