Fase ruim de próximo rival chileno não ilude Ney Franco

O São Paulo conheceu nesta quinta-feira quem vai enfrentar na semifinal da Copa Sul-Americana. Com a eliminação do Grêmio diante do Millonarios, da Colômbia, quem está no caminho do time é a Universidad Católica, do Chile. O primeiro jogo será na próxima quinta-feira, em Santiago, e o técnico Ney Franco descarta a possibilidade de o confronto ser fácil pelo fato de o adversário estar em má fase no Campeonato Chileno.

CIRO CAMPOS, Agência Estado

16 de novembro de 2012 | 15h21

"Estamos cheios de exemplos de equipes que estão mal em uma competição e bem em outra. São duas competições em formatos diferentes", diz o treinador. Com 23 pontos, a Universidad Católica está em oitavo lugar entre 18 equipes do torneio nacional. Com 33 pontos lideram Colo-Colo e Universidad de Chile - este último foi eliminado pelo São Paulo nas quartas de final da Sul-Americana.

O time chileno já estava garantido nas semifinais desde a semana passada, quando eliminou o Cerro Porteño, do Paraguai, e é considerado um dos azarões do torneio. A definição do cruzamento só veio nesta quinta-feira porque, pelo regulamento da competição, se dois times de um mesmo país chegam à semifinal eles devem se enfrentar. Portanto, foi necessário aguardar o desfecho do confronto do Grêmio.

"Não achei surpresa a eliminação da equipe deles. O Millonarios jogou bem aqui na partida de ida e é um adversário difícil e que faz valer o seu mando de campo", disse o técnico do São Paulo.

A Universidad Católica foi o adversário do São Paulo na final da Copa Libertadores de 1993. Na ocasião, o time do Morumbi levou a melhor ao vencer o primeiro jogo em casa, por 5 a 1, e depois perder na partida de volta por 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.