Ernesto Rodrigues/Estadão - 22/3/13
Ernesto Rodrigues/Estadão - 22/3/13

Fase ruim do ataque do Corinthians abre espaço para Tite mexer no time

Como opção, técnico pode dar nova chance a Renato Augusto ou ainda testar Alexandre Pato como titular

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - A campanha ruim no Campeonato Brasileiro e a ineficiência do ataque podem acarretar em mudanças no Corinthians. Após o empate sem gols contra o São Paulo, o time é o 11º colocado com onze pontos ganhos.

A recuperação de Renato Augusto coloca uma dúvida na cabeça de Tite: já é hora de voltar a jogar com dois meias? Isso faria com que o time ganhasse mais poder de criação e talvez sanasse os problemas do setor ofensivo – é o pior ataque do torneio, com apenas seis gols.

A entrada de Renato no time e a consequente mudança tática poderiam acontecer, em tese, já na partida contra o Grêmio, nesta quarta-feira, no Pacaembu. Todos os principais jogadores estão à disposição. O único desfalque é o lateral-esquerdo Fábio Santos, suspenso pelo terceiro amarelo.

Tite, no entanto, ainda não deu pistas do que fará no time. Renato Augusto ‘roubaria’ a vaga de um atacante (Emerson ou Romarinho). Muitos dentro do clube, da comissão técnica à diretoria, apostam que ele vai esperar uma situação específica (contusão ou suspensão) para recolocar Renato Augusto no time. A mudança não é drástica nem uma novidade porque o time já jogou assim na Libertadores, com dois meias - Renato Augusto e Danilo.

Já Alexandre Pato ainda aguarda nova chance. Ele disputa posição com Guerrero ou até mesmo com Emerson. Quando ele foi titular em alguns jogos da Libertadores, Pato fez dupla com Guerrero e Danilo e Renato Augusto eram os meias.

Renato Augusto, após o clássico contra o São Paulo, disse que o time precisa de duas vitórias consecutivas para acabar com a fase ruim."No Brasileiro é assim, duas vitóiras nos colocam de novo no topo da tabela. Acho que é questão de tempo subirmos de posição", disse. A distância do Corinthians para o líder Cruzeiro é de sete pontos.

Paulo André cobrou nova postura do time após tropeços recentes, em especial, os jogos em casa.  "Precisamos de uma jogar de uma maneira melhor em casa, para envolver os adversários", disse.  "Temos de nos aproximar dos líderes rapidamente. Temos elenco para vencer."

Tite agora adota um discurso mais realista. Segundo o técnico, o Corinthians tem de vislumbrar metas mais modestas a curto prazo porque é o 11º colocado."Só podemos pensar em aproximação do G-8, é ir buscando por etapas.Vamos deixar a equipe forte e estruturada para pensar em título."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.