Francisco Seco/AP
Francisco Seco/AP

Favoritas, Espanha, Alemanha e Noruega estreiam com vitória no Mundial Feminino

Equipes europeias superam, respectivamente, seleções da África do Sul, China e Nigéria

Redação, Estadão Conteúdo

08 de junho de 2019 | 20h34

O primeiro sábado do Mundial Feminino de Futebol na França não contou com surpresas. Nas três partidas do dia, as favoritas Espanha, Alemanha e Noruega passaram, respectivamente, por África do Sul, China e Nigéria.

Dos três confrontos, quem teve mais tranquilidade para obter seus três primeiros pontos no torneio foi a Noruega. Em Reims, pelo Grupo A, o mesmo das anfitriãs, as nórdicas não tiveram dificuldades para fazer 3 a 0 nas africanas. Com gols de Reiten, Utland e Ohale (contra), todos marcados ainda no primeiro tempo, a equipe que tem como estrela a atacante Caroline Graham Hansen igualou os três pontos da França, que goleou a Coreia do Sul na abertura do Mundial, na sexta-feira, por 4 a 0.

Em Le Havre, pelo Grupo B, de virada, as espanholas superaram as sul-africanas por 3 a 1, com Jennifer Hermoso (duas vezes) e Lucia García virando o marcador que começara favorável para as adversárias após gol de Kgatlana. O resultado deixou a seleção da Península Ibérica com a mesma pontuação, mas saldo superior ao da Alemanha, que mais cedo havia superado, com dificuldades, a China.

O gol único das alemãs foi anotado por Gwinn, lateral da equipe duas vezes campeã mundial, que definiu o confronto, sediado na cidade de Rennes, aos 20 minutos do segundo tempo, após alguns sustos sofridos por sua defesa.

A primeira rodada da fase de grupos do Mundial prossegue com três jogos neste domingo: pelo Grupo C, Austrália x Itália, às 8 horas (de Brasília), em Valenciennes, e Brasil x Jamaica, às 10h30, em Grenoble; e Inglaterra x Escócia, às 13h, em Nice, válido pela chave D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.