Fazendinha é boa opção financeira para Série B, diz dirigente

Dentro de cinco meses, Corinthians realizará reforma no Parque São Jorge para receber 15 mil torcedores

Vítor Marques, Jornal da Tarde

29 de fevereiro de 2008 | 09h35

O presidente do Corinthians , Andrés Sanchez, afirmou recentemente que, ao disputar partidas da Série B na Fazendinha, os torcedores poderão sentir o prazer e o "orgulho" de jogar em casa. Mas o principal motivo de mandar jogos no Estádio Alfredo Schurig é que o clube lucrará mais. A conclusão é da diretoria corintiana, que pretende reformar o estádio em, no máximo, cinco meses.  Veja também:  MP denuncia Big Brother de Dualib no Parque São Jorge Corinthians e Palmeiras devem jogar com seus uniformes 3 no clássico? "Financeiramente, é mais vantajoso para o Corinthians jogar na Fazendinha e receber 15 mil pessoas que no Morumbi, com 50 mil torcedores", afirma o vice-presidente de Patrimônio Jorge Alberto Aun, com base em reuniões que teve com os departamentos financeiros e de marketing do clube. Segundo o dirigente, o fato de não pagar aluguel, comercializar as placas de publicidade, vender ingressos e cobrar pelo estacionamento permitirá ao clube ganhar dinheiro mandando alguns jogos no Parque São Jorge. Para isso, contudo, o estádio deve passar por uma reforma, sendo redesenhado por um escritório de arquitetura. Entre as principais mudanças estão a construção de novos camarotes, para cerca de 20 a 30 pessoas, com ar condicionado e televisores, estrutura para emissoras de rádio e TV e melhorias no gramado. O Estádio do Parque São Jorge necessita, ainda, de liberação do Contru para voltar a receber sua capacidade máxima, de cerca de 15 mil pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansParque São Jorge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.