Bernd Thissen / AFP
Bernd Thissen / AFP

Federação Alemã de Futebol não punirá atletas por homenagens a George Floyd

Fifa já havia pedido 'bom senso' para evitar penas para atletas que se manifestassem durante os jogos

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2020 | 13h19

A Federação Alemã de Futebol não punirá jogadores que façam manifestações contra a morte de George Floyd e contra o racismo. Vários atletas fizeram declarações com gestos ou mensagens em seus uniformes durante os jogos do Campeonato Alemão desde que o cidadão negro, de 46 anos, morreu asfixiado em 25 de maio, por um policial branco, em Minneapolis, Estados Unidos.

A Bundesliga informou, por intermédio de um comunicado, nesta quarta-feira, que se opõe punir qualquer jogador porque acredita que suas mensagens anti-racismo correspondem aos princípios da federação.

"A federação se posicionou fortemente contra qualquer forma de racismo, discriminação ou violência. Tolerância, abertura e diversidade são valores ancorados em seus estatutos", disse o presidente da federação Fritz Keller em um comunicado. "Portanto, as ações dos jogadores têm nosso respeito e nossa compreensão."

A nota da federação nomeou quatro jogadores, que protestaram durante os jogos do último fim de semana. Foram eles: Achraf Hakimi, Jadon Sancho, (ambos do Borussia Dortmund), Weston McKennie (Schalke 04) e Marcus Thuram (Borussia Monchengladbach).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.