Federação Boliviana revela que romperá com o técnico Mauricio Soria

A Federação Boliviana de Futebol (FBF) revelou nesta terça-feira que romperá o vínculo com o técnico Mauricio Soria. O motivo não é a queda nas quartas de final da Copa América ou os resultados recentes da seleção do país, mas sim as declarações dadas pelo treinador justamente durante o torneio continental no Chile.

Estadão Conteúdo

14 de julho de 2015 | 10h56

Antes das quartas de final da competição diante do Peru, na qual a Bolívia acabaria derrotada por 3 a 1, Soria pressionou publicamente a FBF ao reclamar do valor estipulado pela entidade para a premiação da comissão técnica, o que irritou os dirigentes do país.

"É inaceitável para a FBF a posição do Soria. Ele teve algumas posições inadequadas e, por isso, vamos negociar com ele uma saída amistosa", disse o presidente da entidade, Carlos Chávez, que garantiu que o valor da premiação já havia sido acordado com toda a comissão técnica.

Carlos Chávez explicou que caso a federação não chegue a um acordo amigável com Soria, deverá pagar os US$ 20 mil previstos para sua rescisão. Em sua defesa, o treinador alegou que só reclamou dos valores porque os dirigentes não estariam cumprido com o que havia combinado anteriormente.

Mauricio Soria está no comando da seleção desde novembro do ano passado, quando substituiu o espanhol Xavier Azkargorta. Somente em janeiro, no entanto, ele foi efetivado no cargo. Na Copa América, o treinador levou a Bolívia às quartas depois de empatar em 0 a 0 com o México, bater o Equador por 3 a 2 e ser goleado pelo Chile por 5 a 0.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBolíviaMauricio Soria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.