Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Federação colombiana responde às afirmações de Blatter

Dirigentes da Federação Colombiana de Futebol responderam nesta quinta-feira às afirmações feitas pelo suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, que alegou que a candidatura da Colômbia à Copa do Mundo de 2014 é uma campanha de "relações públicas" do país. "A notícia nos surpreende", disse o vice-presidente da federação, Ramón Jessurum. "Estamos surpresos porque nós vínhamos trabalhando com o governo sobre este projeto, analisando sua viabilidade e custos, mas surgem agora declarações que esfriam todo o processo", explicou o dirigente. Sobre a declaração de Blatter, feita quarta-feira em Londres, Jessurum disse que "é uma apreciação subjetiva, e só ele deve dar uma explicação a respeito". "A candidatura da Colômbia nada mais é que uma apresentação de relações públicas do país, para dizer que estão em evidência não só por outras manchetes, mas também pelo futebol", comentou Blatter sobre as pretensões do país a ser sede do Mundial.Blatter lembrou que a Colômbia obteve o direito de sediar o Mundial de 1986, mas que o governo do então presidente Belisario Betancur se negou a receber a Copa argumentando que os recursos deviam ser destinados a necessidades mais urgentes. A competição acabou sendo disputada no México.Em julho do ano passado, o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, anunciou que seu país brigaria para ser sede do Mundial do 2014 junto ao Brasil, apontado como candidato há alguns anos.O responsável pela campanha é o vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, que afirmou que "as coisas mudaram muito" em seu país, em alusão à violência. A sede do Mundial de 2014 será anunciada em novembro, na cidade sul-africana de Durban. O Brasil é o favorito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.