Felipe Oliveira / EC Bahia
Felipe Oliveira / EC Bahia

Federação divulga súmula e oficializa triunfo do Bahia no Ba-Vi

Equipe tricolor é declarada ganhadora por 3 a 0 após o Vitória ter cinco jogadores expulsos no clássico

Estadão Conteúdo

19 de fevereiro de 2018 | 17h34

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) divulgou nesta segunda-feira a súmula do conturbado clássico Ba-Vi do último domingo. Através do documento, a entidade oficializou o triunfo do Bahia por 3 a 0, no Barradão, após a partida ser encerrada prematuramente graças às expulsões de cinco jogadores do lado do Vitória.

+ Presidente do Bahia chama adversários de covardes

+ Jogador presta queixa contra jogadores do Vitória

O árbitro Jailson Macedo Freitas encerrou a partida aos 32 minutos do segundo tempo por causa da ausência do número mínimo de jogadores do lado rubro-negro. No momento, o placar indicava empate de 1 a 1, mas, seguindo o que manda o Regulamento Geral de Competições da CBF, o Bahia foi declarado vencedor.

A confusão no Barradão começou logo no início do segundo tempo, com o gol de pênalti marcado por Vinícius, que, na celebração, realizou uma dança em frente à torcida do Vitória, considerada ofensiva pelos rivais, que interpelaram o meia. Entre agressões de ambos os lados, foram expulsos sete jogadores, sendo três do lado rubro-negro (Kanu, Denilson e Rhayner) e quatro do Bahia (Vinícius e Lucas Fonseca, que estavam em campo, e os reservas Rodrigo Becão e Edson).

Em relatório anexado à súmula divulgada nesta segunda, Jailson explicou os motivos das expulsões e explicou que estes jogadores foram expulsos por agressões. A exceção foi Vinícius, que recebeu o cartão vermelho por "fazer gestos obscenos, provocando" a torcida do Vitória.

Jailson também detalhou os vermelhos mostrados a Uillian Correia, "por impedir ataque promissor" do Bahia, e Bruno Bispo, "por retardar o início de jogo de forma acintosa". Sobre a expulsão final, o árbitro não fez qualquer menção à possibilidade de um cartão arquitetado pelo Vitória, justamente para impedir o prosseguimento da partida.

Entre outros pontos, Jailson ainda revelou ter sido questionado no intervalo pelo diretor de futebol do Bahia, Diego Cerri, sobre o lance do gol do Vitória, enquanto o diretor de esporte rubro-negro, Erasmo Damiani, teria acusado o árbitro de "aceitar a pressão" do time tricolor.

Em meio a tantos eventos que mancharam o clássico, a FBF lamentou o desfecho da partida. "A FBF vem lamentar os fatos ocorridos ontem por ocasião do clássico entre as equipes do Vitória e do Bahia, afirmando que, dentro dos limites da sua atuação como entidade de administração, aplicará as normas regulamentares cabíveis e remeterá os documentos da partida ao TJD/FB (Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia) para apuração das eventuais infrações disciplinares."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.