Federação e clubes decidem semifinais

O Santos conseguiu o que queria. Ficou com a segunda colocação da fase de classificação do Campeonato Paulista. A equipe de Geninho contou com o tropeço do Corinthians, seu adversário nas semifinais, que hoje perdeu para o São Paulo por 3 a 1, no complemento da última rodada. Agora, a equipe da Baixada, que terminou com 29 pontos (dois a menos do que a líder Ponte Preta) contará com a vantagem de jogar por dois resultados iguais - considerado o saldo de gols - diante do time de Wanderley Luxemburgo.Está marcada para amanhã, na Federação Paulista de Futebol (FPF), provavelmente à tarde, uma reunião entre o presidente da entidade, Eduardo José Farah, com representantes dos quatro clubes semifinalistas. Na pauta, algumas idéias devem ser analisadas, como a de zerar os cartões amarelos, os locais dos jogos (a federação tem autonomia para definir a cidade), a manutenção de três juízes e a reabertura de inscrições de atletas. Indefinições à parte, os jogos de ida devem mesmo ser realizados no próximo domingo.Nesse caso, pode ser que já exista um choque de interesses. A diretoria santista, cujo time tem 11 jogadores pendurados, teria sido a autora da proposta de zerar cartões. Os corintianos, por sua vez, gostariam de reabrir as inscrições para, assim, poder contar com o recém-contratado atacante Müller na fase decisiva, intenção combatida pelo técnico Geninho.Porém, os dirigentes do Parque São Jorge ameaçam vetar a proposta do Santos caso o clube da Baixada mantenha-se contrário ao desejo do Corinthians. Alguns cartolas do Santos já comentam que estão preocupados que o adversário utilize seu poder nos bastidores para tentar impor seus interesses. A discussão promete ser grande.Bons tempos - Enquanto os dois grandes prometem travar uma batalha nos bastidores, Ponte Preta e Botafogo ainda curtem o bom momento. Um deles vai protagonizar um fato que não corre no futebol paulista desde 1990: um time do interior numa final de campeonato. Naquele ano, o Bragantino venceu o Novorizontino e ficou com o título.Onze anos depois, o fato voltará a acontecer. No entanto, só depois da reunião de hoje que os torcedores de Ribeirão Preto ou Campinas saberão se vão ter a chance de assistir a uma final de campeonato em sua cidade. Aliás, diante da atitude da federação na última semana, é mais fácil acertar na loteria do que adivinhar o local dos jogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.