Federação equatoriana preocupada com veto da Fifa

Vice-presidente da entidade diz estar preocupado com proibição de jogos em altitudes acima de 2.750 metros

Efe

15 de março de 2008 | 14h42

Carlos Villacís, vice-presidente da Federação Equatoriana de Futebol (FEF), demonstrou neste sábado sua preocupação com a insistência da Fifa em proibir partidas internacionais em cidades situadas em altitudes superiores a 2.750 metros. O dirigente disse ter recebido um comunicado da Fifa nesta sexta-feira que insiste no problema da altitude.   O dirigente disse que a FEF deve se pronunciar oficialmente sobre o assunto na semana que vem, e lamentou que a delegação da Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF) enviada à Fifa não tenha conseguido defender sua postura em relação ao tema.   Patrício Maldonado, membro da comissão médica da CSF e médico da seleção equatoriana, disse hoje à imprensa do país que esperava que a Fifa fosse tomar tal decisão.   Maldonado contou que vai aguardar qual será a decisão definitiva da autoridade máxima do futebol, mas vai apresentar documentos para tentar reverter a situação.   Segundo o médico, o futebol não pode ficar de fora dos países andinos, e disse que essa era a posição de todas as federações da região.

Tudo o que sabemos sobre:
Fifaaltitude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.