Elisabetta Baracchi/EFE
Elisabetta Baracchi/EFE

Federação Italiana apura racismo contra atleta do Milan

Kevin Constant deixou a partida contra o Sassuolo após ser ofendido

AE-AP, Agência Estado

24 de julho de 2013 | 12h45

MILÃO - A Federação Italiana de Futebol (FIGC) anunciou nesta quarta-feira que investigará o caso de racismo envolvendo o jogador Kevin Constant, do Milan, que deixou o campo durante uma partida realizada na última terça após ser ofendido. Este é apenas mais um dos muitos casos de abuso racial no futebol italiano nos últimos anos.

O incidente aconteceu durante a derrota do Milan por 2 a 1 para o Sassuolo, em triangular amistoso denominado Troféu TIM, que também envolvia a Juventus. Constant deixou o gramado aos 34 minutos do primeiro tempo, chutando a bola na torcida, após ter sido ofendido.

"Cantos racistas são desprezíveis e escandalosos, e todos deveriam lutar contra isso", declarou o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani. "Somos solidários ao Constant, mas não é legal deixar o campo. Disse para ele, repeti e escrevo para qualquer um: ''você não pode deixar o campo''", completou.

A atitude de Constant foi semelhante ao de seu colega de Milan Kevin-Prince Boateng, que também decidiu deixar o campo de jogo ao ser ofendido racialmente durante amistoso contra o Pro Patria, em janeiro.

A Fifa também se manifestou sobre o caso de Constant, disse estar "monitorando a situação" e aguardando a investigação da FIGC. "A posição da Fifa em relação ao problema do racismo é clara: não há lugar para racismo ou qualquer discriminação no futebol", apontou a entidade em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.