Federação mexicana pede desculpas por atitude de jogador em coletiva

A federação mexicana de futebol pediu desculpas pela atitude do atacante Nery Castillo, que chamou um jornalista pra briga durante uma coletiva da seleção antes do jogo deste sábado com a Costa Rica, pelas Eliminatórias da Concacaf à Copa.

EFE

27 de março de 2009 | 13h28

Veja também:

especialVisite o canal especial das Eliminatórias da Copa

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Peço desculpas, sei que vocês estão aqui para fazer seu trabalho e nós também somos profissionais. O incidente não agradou a ninguém", comentou Néstor de la Torre, supervisor das seleções mexicanas, em outra entrevista, à qual o jogador não foi.

O atacante do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, se irritou quando perguntado sobre seu rendimento em campo e começou a questionar parte da imprensa, afirmando que ele jogava na Europa e os jornalistas que o incomodavam moravam no México. Foi aí que ele insultou outro jornalista e o chamou à briga.

Horas depois, De la Torre disse que Castillo foi mal interpretado e jamais quis minimizar a sociedade mexicana. Segundo ele, o atacante só quis falar sobre futebol e lembrou que a Europa é onde todos os jogadores querem estar.

Porém, o supervisor deixou claro que as ideias expressadas antes são dos jogadores. "Não vamos nos desgastar por conta disso", afirmou.

O México recebe a Costa Rica neste sábado na capital mexicana e precisa de uma vitória para se manter vivo no hexagonal final da Concacaf, pois perdeu na primeira rodada para os Estados Unidos.

De la Torre disse ainda que novas regras nas relações entre a imprensa e os jogadores da seleção estarão em vigor dentro de alguns dias, mas não deu detalhes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.