Rodrigo Corsi/FPF
Rodrigo Corsi/FPF

Federação Paulista e Fiesp fazem concurso para startups com projetos de futebol

Evento 'Acelera Startup Futebol Paulista' seleciona 100 iniciativas de engajamento da torcida e gestão

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2019 | 12h51

A Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) reuniram mais de 100 startups do mercado brasileiro para encontrar novas soluções em gestão esportiva e engajamento de torcedores. O concurso, batizado de “Acelera Startup Futebol Paulista”, está sendo realizado na sede da FPF ao longo de dois dias (segunda-feira, 26, e terça-feira, dia 27).

Esta é a 23ª edição do evento, um dos maiores da América Latina voltados ao empreendedorismo, mas a primeira dirigida ao futebol. Nas últimas edições do concurso, realizado desde 2011, foram avaliados mais de 39 mil projetos que atraíram investimentos de R$ 44 milhões.

Nesses dois dias, a reunião aproxima investidores e empreendedores (empresas, startups, projetos e pessoas físicas) para o desenvolvimento de softwares, tecnologias, serviços e aplicativos que beneficiem futebol. As iniciativas estão divididas nas categorias pré-operacional, operacional ou universitário em dois grandes temas: “Gestão Esportiva e Facilidades” e “Engajamento para Torcedores”.

Um dos projetos, por exemplo, pretende conectar jogadores de categorias de base, clubes das Séries B, C e D e empresários, por meio de inteligência artificial, inteligência emocional e análise de excelência de desempenho de atletas (scout escalável).

Nesta segunda-feira, os empreendedores, previamente selecionados, participam de palestras e mentorias individuais. Em seguida, cada startup apresenta sua proposta aos avaliadores em até três minutos. Na terça-feira, os finalistas se reúnem com os investidores potenciais, como bancos, fundos e agências de fomento, todos com histórico e propensão de investir no esporte. Os três melhores projetos de cada categoria serão premiados com programas de consultoria, mentorias e treinamento, além de computadores portáteis Mac Book Pro.

“Todos os setores da sociedade brasileira estão passando por uma revolução. E o futebol precisa acompanhar esse movimento”, diz Sylvio Gomide, diretor do Departamento da Micro, Pequena, Média Indústria e Acelera Fiesp.

Na visão do representante da Fiesp, o futebol brasileiro tem potencial para ampliar seu desenvolvimento e crescimento nas áreas de governança, gestão, tecnologia e inovação. “É um esporte que movimenta e representa vários setores da indústria como as áreas têxtil, equipamentos, materiais esportivos, além de ser uma área pouco explorada pelo universo de startups e inovação”, avalia. “O futebol paulista tem grande potencial de inovação. Esse evento é um encontro de ideias para que possamos fazer as coisas de uma forma diferente”, diz Reynaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.