Daniela Ramiro/FPF
Daniela Ramiro/FPF

Federação Paulista lança ação para incentivar presença das mulheres nos estádios

Movimento #ElasNoEstádio vai atender casos de assédio e incentivar que grupos frequentem as arenas

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2020 | 19h31

A Federação Paulista de Futebol e os 16 clubes que disputam o torneio estadual criaram uma ação para ampliar a presença das mulheres nos estádios em São Paulo. É o movimento #ElasNoEstádio. A primeira iniciativa é o atendimento especial às mulheres nas arenas para que possam relatar eventuais casos de assédio, ofensas e violência. Nos jogos na capital, haverá, preferencialmente, delegadas para atender o público feminino.

Outra iniciativa importante é o incentivo dado a coletivos e grupos femininos na ida às arenas. “Nossa intenção é aumentar o público feminino. Para isso, estamos criando condições favoráveis a elas nos estádios”, afirma Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol. 

Para planejar as ações, a entidade encomendou duas pesquisas de opinião entre mulheres. A última delas, realizada pelo Ibope/Repucom em dezembro, indicou que familiares ou amigos próximos costumam desencorajar a ida delas aos estádios. Neste contexto, as entrevistadas relatavam falta de companhia ou incentivo de seu círculo social para ir aos jogos.

Para ilustrar o processo de exclusão das torcedoras nos estádios, a federação permitiu que apenas jornalistas mulheres e cinegrafistas acompanhassem in loco a entrevista da diretora de futebol feminino da FPF e embaixadora do movimento, Aline Pellegrino, e da coordenadora de Marketing do Botafogo e representante dos clubes, Laura Louzada.

Torcidas femininas, como Bancada Das Sereias (Santos), Movimento Alvinegras (Corinthians), São PraElas (São Paulo) e VerDonnas (Pameiras) participaram do evento. Os homens assistiram à coletiva pela TV.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.