Rodrigo Corsi/FPF
Rodrigo Corsi/FPF

Federação Paulista planeja se reaproximar do Palmeiras após o Paulistão

Presidente Bastos afirmou que vai procurar o clube pessoalmente para encerrar atritos que começaram em 2018

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2019 | 16h36

A Federação Paulista de Futebol quer se reaproximar do Palmeiras após o término do Campeonato Paulista. A intenção foi revelada por Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da entidade, nesta quinta-feira depois que o clube alviverde não enviou representante ao Conselho Técnico que definiu dias e horários das semifinais do Paulistão.

"Normal, acontece, respeitamos o Palmeiras. Temos uma meta, acabando o Campeonato Paulista, eu, pessoalmente, de trazer o Palmeiras de volta ao convívio da Federação Paulista de Futebol. Vou tentar. Vou lutar por isso, conversando. Só com diálogo, porque sei a qualidade do trabalho do Palmeiras e da Federação. A gente tem de se entender", afirmou Reinaldo.

O Palmeiras entrou em atrito com a federação na finalíssima do Paulistão do ano passado. O clube chegou a contratar uma empresa norte-americana para colher evidências de que houve interferência na decisão de revogar um pênalti de Ralf em Dudu. No final da partida, o Corinthians conquistou o título nos pênaltis. O resultado da final foi mantido apesar dos protestos. O presidente Maurício Galiotte, do Palmeiras, chegou a se referir ao torneio como "Paulistinha".  

Neste ano, o clube reclamou de uma decisão do VAR em suas redes sociais após a primeira partida das quartas de final, contra o Novorizontino. A FPF divulgou uma imagem no Twitter para justificar a decisão do árbitro de vídeo, que confirmou o lance. "A Federação mostrou o lance que utilizou para tomar a decisão acertada. É tudo muito novo. Se decidiu (que houve o toque de mão) por uma informação no intervalo pelas emissoras de televisão, que não esgotou as imagens, não mostrou a imagem que o árbitro usou", afirmou o presidente. 

Ao fazer um balanço do uso do VAR, o ex-jogador Mauro Silva, vice-presidente da FPF, afirmou que os clubes que participam dos conselhos técnicos para utilização da ferramenta têm menos dúvidas. O ex-jogador não citou o Palmeiras. "Temos uma recomendação para que o plano de comunicação fosse continuado, que dirigentes viessem provar os equipamentos. Nós disponibilizamos profissionais para darem palestras nos clubes. Quando mais conhecimento, menos dúvidas tem. Como é novidade, é normal que tenham dúvidas. Quem se aproximou tem menos dúvidas, porque tem o conhecimento maior - encerrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.