Federação remarca jogo suspenso do Gaúcho para terça

Após a suspensão da partida entre Internacional de Santa Maria e Veranópolis, a Federação Gaúcha de Futebol decidiu ainda na noite desta segunda-feira que o confronto continuará nesta terça, com os portões do Estádio Presidente Vargas abertos. Uma confusão entre os jogadores do Veranópolis e soldados da Brigada Militar (a Polícia Militar gaúcha) provocou a paralisação do jogo no final do primeiro tempo.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 00h06

No confronto, que era decisivo para as duas equipes no Campeonato Gaúcho, os times empatavam por 1 a 1 até o final do primeiro tempo, quando o árbitro Rogério Gonçalves expulsou Miro Bahia, do Veranópolis, e foi cercado pelos jogadores do clube visitante. A Brigada Militar entrou em campo para proteger o juiz e utilizou spray de pimenta para dispersar os atletas revoltados.

Segundo diretores do Veranópolis, o time não conseguiu voltar para o segundo tempo porque os jogadores Ademir, Diego Corrêa, Marília, Kito e Dinei sentiram náuseas e ardência nos olhos e tiveram de ser levados para um hospital, enquanto outros três atletas também tiveram de receber atendimento médico no estádio.

O árbitro esperou 30 minutos e decidiu registrar na súmula que a partida havia sido interrompida.

Os ânimos exaltados na partida desta segunda-feira, em Santa Maria, são justificados pela situação das equipes no Gaúcho. O Veranópolis precisava da vitória para garantir a classificação às quartas-de-final do segundo turno. Já o Inter buscava ao menos o empate para afastar qualquer risco de rebaixamento à segunda divisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.