Felipão admite voltar à seleção

O técnico Luiz Felipe Scolari pode voltar à seleção brasileira muito antes do que ele mesmo imaginara semana retrasada, quando anunciou sua despedida da equipe campeã do mundo na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Em entrevista concedida nesta segunda-feira, após o treino da seleção no Estádio Castelão, em Fortaleza, Scolari reafirmou que até o fim do ano não vai trabalhar mais, em campo. Depois, acrescentou, tudo é possível. "Se não receber convite de algum clube europeu até janeiro, vou trabalhar no Brasil, alguém vai me querer", disse. Em seguida, foi mais direto ainda. "Se convidado (para a seleção), voltaria por causa do belo ambiente do grupo." Scolari estava visivelmente emocionado com o reencontro da equipe, fez elogios à "família" nascida do convívio dos campeões do mundo e transferiu para o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, a responsabilidade pelo seu eventual retorno à seleção. "Isso não depende de mim; não sou eu que defino a minha volta", declarou. O treinador repetiu que vai se dedicar à mulher e aos filhos até o fim do ano, assim como a palestras, visitas de intercâmbio a treinadores europeus e a mais uma atividade, conforme antecipou a Agência Estado: a divulgação do livro que conta a trajetória do time pentacampeão. "Vou a cinco, seis capitais para lançá-lo."

Agencia Estado,

19 Agosto 2002 | 21h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.