Felipão aprova envolvimento de Lucas com a seleção brasileira

'Embora machucado, ele está envolvido e quer participar do ambiente', alogiou treinador

Almir Leite, enviado especial, Agência Estado

25 de março de 2013 | 08h09

LONDRES - A iniciativa do meia Lucas de procurar a seleção brasileira mesmo cortado dos amistosos contra a Itália, realizado na quinta-feira e que terminou empatado por 2 a 2, e Rússia, nesta segunda-feira, por contusão fez o jogador do Paris Saint-Germain ganhar preciosos pontos com o técnico Luiz Felipe Scolari. O interesse do jogador foi ressaltado pelo treinador, que quer formar um grupo com atletas comprometidos com a equipe.

"O Lucas ganha bastante pontos. Ele solicitou a vinda (até Londres) e o PSG concordou. A ideia que tem de trabalhar junto com o doutor (José Luís) Runco nos deixa felizes", disse Felipão. "Embora machucado, está envolvido, quer participar do ambiente, claro que isso soma pontos."

Lucas se machucou no dia 9, jogando pelo PSG contra o Bastia pelo Campeonato Francês. Ele levou um carrinho e contundiu o tornozelo esquerdo. Como Paris é próxima de Londres e ele está sem jogar pelo time francês, pediu ao diretor esportivo Leonardo para ser examinado por Runco e foi atendido. Na seleção, ele tem feito tratamento sob a supervisão do médico e do fisioterapeuta Luiz Rosan.

Nesta segunda-feira, ele vai assistir ao amistoso contra os russos. "Estou dando uma força para os companheiros para que a gente possa conseguir a primeira vitória com Felipão", disse.

Quem também esteve no hotel onde a delegação brasileira está hospedada foi Kia Joorabchian, ex-chefão da MSI, que investiu há alguns anos no Corinthians, parceria que ainda está sendo investigada pela Justiça brasileira. Kia conversou com Oscar, David Luiz e, mais demoradamente, com o goleiro Julio Cesar.

Atualmente ele tem, entre seus negócios, o de empresariar jogadores. Kia que esteve recentemente no Brasil prestando depoimento à Polícia Federal, não quis dar declarações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.