Felipão avisa que México se fortalece contra o Brasil

Jogo será realizado na próxima terça-feira, e técnico brasileiro acredita que o time mexicano jogará como uma grande seleção

Robson Morelli - Enviado especial a Fortaleza, O Estado de S. Paulo

16 de junho de 2014 | 17h22

Em sua entrevista na véspera da partida contra o México, Felipão destacou a reação da seleção brasileira diante da Croácia após o gol contra de Marcelo. Disse isso para justificar a qualidade dos seus jovens jogadores em situações adversas numa estreia de Copa do Mundo. Para muitos, pode parecer pouco. Para o treinador, o comportamento da equipe dimensiona a personalidade dos seus "meninos". Até o chefe tinha dúvidas de qual seria a reação dos atletas, a maioria na casa dos 22 anos, como Neymar e Oscar, estando atrás no marcador.

Essa dúvida não existe mais. "É verdade que fomos surpreendido com a forma de jogar da Croácia nos minutos iniciais. Não esperávamos. Mas também houve uma surpresa positiva com a reação do time após o gol. Foi excelente a forma com que eles reagiram", contou Felipão, ao comentar na entrevista desta segunda-feira sobre a vitória brasileira por 3 a 1, quinta passada, no Itaquerão.

O treinador sabe que uma vitória em Fortaleza, nesta terça-feira, vai deixar o Brasil em posição bastante confortável no Grupo A, com seis pontos e praticamente garantido nas oitavas de final. Mas não vai subestimar o rival. "Temos muito respeito pelo México. Não gostei de ter perdido na Olimpíada (há dois anos, em Londres), mas não estava lá e, por isso, não tenho lembrança nenhuma daquela decisão. Tenho conversado com um ou outro do nosso time que estava lá para acrescentar alguma coisa ao trabalho. O México, quando joga com o Brasil, se comporta como uma grande seleção", afirmou Felipão.

Ele também fez questão de encerrar o problema da seleção com a arbitragem. Causou mal-estar e muitos comentários o pênalti dado em Fred na estreia, cobrado e convertido por Neymar. Na opinião de muita gente, a falta não houve. O fato quase levou a CBF a se manifestar na Fifa, que endossou a decisão do árbitro japonês e apagou o que seria o primeiro incêndio no time anfitrião.

"Não tenho problema nenhum com a arbitragem desta Copa. A arbitragem apita, os meus jogadores jogam. O mesmo ocorre com as outras seleções. Há interpretações dos árbitros para todos os lados. Que tem de falar sobre isso é a Comissão de Arbitragem. Não tenho preocupação nenhuma com a arbitragem", avisou Felipão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.