WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Felipão compara sua situação no Palmeiras à de treinador do Real

Técnico palmeirense diz ter falado recentemente com Lopetegui: 'Temos times que precisam ser campeões'

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

22 Outubro 2018 | 05h00

Se o Palmeiras não ganhar nem o Campeonato Brasileiro, que lidera, nem a Libertadores, pela qual inicia nesta quarta-feira uma das semifinais contra o Boca Juniors, Felipão já sabe: a cobrança virá dobrada, em razão do quanto foi investido num dos elencos mais badalados do continente. E apos a vitória de domingo sobre o Ceará, por 2 a 1, ele utilizou uma comparação inusitada para comentar o atual momento da temporada.

"A gente sempre imagina ou sonha com melhores condições para equipe, disputar título, finais. Já perdemos a Copa do Brasil, agora temos a semifinal da Libertadores e oito jogos do Brasileiro. E a gente vai imaginando, quando vem contratado, em chegar sempre à final, ser campeão. As dificuldades não são só para mim. Há pouco tempo, me comuniquei com o Lopetegui, do Real Madrid, e as dificuldades dele são idênticas. Temos times que precisam ser campeões, e sofremos um pouco mais", explicou Scolari.

Ele se referiu a Julen Lopetegui, técnico que assumiu o Real Madrid nesta temporada com a missão não só de comandar uma das equipes mais fortes do planeta como de dar sequência aos títulos recentes, especialmente da Liga dos Campeões. O começo de trabalho, no entanto, já o deixou na corda bamba. O time acumula tropeços na liga espanhola que imediatamente colocaram Lopetegui em xeque.

No caso de Felipão, o lastro no Palmeiras é infinitamente maior, dado o histórico vencedor do treinador no clube. Basta dizer que, até hoje, foi o único a conduzir o Alviverde a um título de Libertadores, algo que ele busca repetir em 2018. E é nisso que ele se apoia para acreditar que é possível encerrar o ano com, ao menos, uma taça.

"Trabalhamos há 30 anos e fomos campeões 20, 30 vezes. Sempre penso em ser campeão e, principalmente, quem entra em campo e se dedica precisa pensar assim. Espero conseguir, ao menos, um campeonato. Não é fácil, por uma série de razões e outras mais acrescidas. Mas estamos brigando e vamos disputar até o final, se possível sendo campeão de uma competição", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.