Felipão diz que Brasileiro virou vestibular para 2011

O Palmeiras já não aspira a objetivos no Brasileiro. Após o empate sem gols com o Vasco, o 11º do time no campeonato, neste domingo, o técnico Luiz Felipe Scolari revelou que já pensa na montagem do elenco para 2011. O time é o 13º colocado, com 26 pontos, 15 a menos que o líder Fluminense.

AE, Agência Estado

12 de setembro de 2010 | 19h29

"Reitero o que digo quando cheguei: só não vim em janeiro de 2011 e sim em julho de 2010 porque achei que ia ganhar seis meses de observação de trabalho para montar uma equipe que escolhesse seis, sete, 12 jogadores. Já tenho três ou quatro escolhidos. Vamos trabalhar com esse pessoal para ver se temos maior retorno, personalidade, envolvimento, para não repetir os erros no ano que vem", disse o técnico.

Felipão deixou claro que muitos jogadores podem ser dispensados ao final do Brasileiro, mesmo tendo contratos longos com o clube. O Nacional deve virar mesmo um vestibular para a permanência no Palmeiras do próximo ano.

O treinador também reclamou de falta de tranquilidade ao time para decidir os jogos. "Faço essa leitura. Em uma ou outra oportunidade, podíamos ter chutado e cruzamos. Em outra, ao invés de tentar chutar para a bola bater em alguém e entrar, como tomamos alguns gols, estamos com intranquilidade, não assumimos essa responsabilidade e criamos a jogada que não é correta", afirmou.

Uma das receitas para melhora de produção do time no campeonato, segundo Felipão, é a correção do posicionamento dos jogadores. "Tem de existir organização, não adianta só querer ganhar por ganhar, de qualquer jeito. A gente inicia sempre bem organizado, bem definido. De vez em quando perdemos por estar com quatro atacantes e nenhum vir recompor quando se perde a bola", disparou. "Ficamos com duas linhas muito distantes. Se tivermos de ser desorganizados para vencer, não vai dar. Organizado não conseguimos chegar, imagine desorganizado?"

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasLuiz Felipe Scolari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.