Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Felipão diz que Lampard é fundamental para sua equipe

Técnico do Chelsea afirmou que conversa todos os dias com o meia para definir melhor formação do time

EFE

22 de julho de 2008 | 11h14

O novo técnico do Chelsea, Luiz Felipe Scolari, considera o meio-campo Frank Lampard peça insubstituível no time que está montando para a sua primeira temporada no clube londrino. "Falo com Frank todos os dias, discutimos qual é o esquema melhor para o Chelsea e qual a posição mais correta para ele", disse Felipão ao jornal inglês Daily Mail, "falamos disso e nada mais. A coisa mais importante é que ele esteja aqui conosco". O jogador, cujo contrato com a equipe inglesa termina em 2009, foi procurado pela Inter de Milão e teria recusado a última proposta de renovação do seu atual clube. Os italianos querem contar com Lampard após terem contratado o português José Mourinho, ex-técnico dos Blues, com quem o meia tem forte ligação. A presença do inglês na turnê de pré-temporada que o Chelsea está fazendo na China, entretanto, é sinal de que Felipão não pretende se desfazer do jogador. "É um sinal importante que Frank esteja com o resto da equipe", confirma o dirigente do clube, Peter Kenyon, "Sempre dissemos que ficará conosco e tenho certeza que assim será. Mesmo caso ele não renove, ficará até o final do contrato. Não vendemos nossos melhores jogadores". Outro jogador que agrada Felipão é o centroavante da Costa do Marfim, Didier Drogba, que não viajou com a equipe para a China por estar se recuperando de uma contusão. O Barcelona teria demonstrado interesse na contratação do atacante africano. Para Scolari, "o futuro de Didier é com o Chelsea porque tem um contrato conosco e creio que seja feliz assim". O técnico gaúcho lembra que "agora ele está machucado, mas em quatro semanas no máximo estará de volta". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.