Felipão diz que não foi procurado por dirigentes da CBF

Segundo a imprensa inglesa, técnico poderia deixar o Chelsea para comandar o Brasil no lugar de Dunga

Efe,

17 de dezembro de 2008 | 18h14

O técnico Luiz Felipe Scolari afirmou que segue prestigiado no Chelsea e negou que tenha sido procurado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para tratar de uma possível volta à seleção, desmentindo as informações publicadas nesta quarta-feira pela imprensa inglesa. Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Segundo os jornais Daily Mirror e Daily Express, os recentes tropeços do clube londrino teriam deixado a situação de Felipão complicada. Com isso, ele estaria a ponto de ser demitido e assumiria a seleção no lugar do questionado Dunga. "Scolari não foi procurado por ninguém da Confederação Brasileira de Futebol e nenhum representante da seleção brasileira. Não há menor fundamento a informação que poderá assumir a seleção brasileira no próximo ano", disse a nota divulgada pela assessoria do técnico. O comunicado ainda afirmou que Felipão "não foi contestado por nenhum jogador do elenco do Chelsea quanto às substituições feitas nos jogos do Campeonato Inglês ou da Liga dos Campeões". "Scolari não recebeu nenhum tipo de crítica, comentário ou reclamação por parte de nenhum atleta. Não há nenhum problema de relacionamento com o elenco no dia-a-dia, e durante os treinamentos. Muito menos questionamentos quanto a qualquer jogador do elenco", disse. A nota é encerrada com Felipão criticando a postura da imprensa inglesa. "Luiz Felipe Scolari lamenta que pessoas inescrupulosas de fora do clube, agindo em benefício próprio ou tentando auferir vantagens mintam a população através da imprensa", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.