Felipão diz que não mudará time-base

A derrota para Honduras abalou Luiz Felipe Scolari mas não fez o técnico mudar de opinião. Ele garantiu que 80% do grupo que levou para a Copa América também será convocado para o jogo com o Paraguai, dia 15 de agosto, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. "Foi horrível, humilhante", disse o treinador do Brasil.Na entrevista coletiva que concedeu depois da partida, o técnico garantiu que não deve fazer mudanças radicais na Seleção, apesar do desastre."Reflexos negativos de uma derrota sempre trazem problemas. Isso não quer dizer que vou modificar o grupo para o jogo com o Paraguai. Não mudo nada."O treinador disse que quem tem de responder pelo fracasso será ele mesmo, não os jogadores. "Sou eu que terei de responder as perguntas que os torcedores não queriam perguntar. Mas se não sabemos recomeçar, não temos como chegar lá. Os reflexos negativos serão em cima do técnico, é normal."Scolari admitiu também que a situação da Seleção Brasileira é muito difícil. "Não sou bobo, hipócrita. A situação da Seleção é ruim. Não podemos é ficar pensando no que passou. Vocês podem colocar no livro dos recordes: eu, Felipão, perdi para Honduras. É normal. Ninguém vai esquecer. É horrível, mas Honduras fez por merecer a vitória", disse depois de negar que o Brasil menosprezou os adversários.Sobre o comportamento da equipe, não foi muito claro nas suas observações: "Aconteceu aquilo que não esperávamos. Marcamos muito atrás, erramos a maioria das jogadas para fazer gols. Saímos atrás novamente diante de uma equipe que toca a bola. Faltou estrutura para a nossa equipe."No final da entrevista, Scolari abusou na desculpa. "Fiz falta sim no banco. A Conmebol sabia muito bem que eu faria falta no banco. Eles são muito inteligentes. A Conmebol é muito inteligente", disse Scolari acusando a Confederação Sul-Americana de ter manobrado nos bastidores para que ele fosse punido, sem poder ficar no banco de reservas, com a expulsão no jogo com Paraguai.Luiz Felipe Scolari convoca uma nova Seleção para um amistoso dia 9 de agosto, em Curitiba. O adversário ainda não foi definido. A Guatemala deve ser convidada para testar o Brasil.O amistoso servirá como preparação para o jogo com o Paraguai, dia 15, em Porto Alegre, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002. A CBF está prometendo pelo menos dez dias de treinos para a partida com os paraguaios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.