Felipão elogia personalidade e maturidade de Neymar

Em entrevista nesta sexta-feira, o técnico destacou as qualidades do jovem atacante e comentou sobre seus medos e solidão

Robson Morelli - Enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

27 de junho de 2014 | 13h35

Felipão comentou nesta sexta-feira de manhã sobre sua solidão em determinados momentos às vésperas de jogos importantes, partidas decisivas e situações de pressão acima do normal como vai ser o confronto com o Chile, pelas oitavas de final da Copa. Revelou esconder seus "fantasmas" e medos dos jogadores. Sabe que tem nas mãos um grupo "excelente", mas também que ainda é jovem demais, como são Neymar e Oscar, ambos com 22 anos. Mas confia plenamente neles, sobretudo em Neymar.

Mesmo com tamanha juventude, Felipão destaca a personalidade do seu camisa 10. Quase garante que ele não vai se abater ao pisar no gramado do Mineirão para a primeira partida mata-mata de uma Copa do Mundo. Embora já tenha sentido o sabor de grandes momentos no futebol, no Brasil e na Europa, Neymar nunca disputou uma decisão de Copa do Mundo. E Copa do Mundo no Brasil. Assim poderá viver, portanto, uma aventura nova.

"Mas pela idade que tem, ele é um menino muito centrado, com foco e ideias claras. É participativo taticamente e está sempre envolvido com as situações de jogo e do time. Fora isso, o Neymar é um menino do bem, e muito do bem", disse o treinador, que também comentou seu trabalho com o elenco desde que assumiu o grupo na Granja Comary no sentido de prepará-lo para a competição, para as fases agudas.

"Tenho usado minha experiência da mesma forma desde que me tornei treinador. Quase 60% das competições que disputei eram jogadas, em determinados períodos, no sistema de mata-mata. A gente tem algumas estratégias, acelera processos, monta uma ideia sobre a equipe adversária. Dependendo do grupo, tiramos um pouco a pressão deles. Neste momento, mostro o potencial do Chile, mas valorizo também o nosso potencial, e destaco as nossas condições de ganhar."

Felipão tem comentado sempre que pode o fato de Neymar não jogar para ele individualmente e sim para a seleção. Mesmo assim, para não deixar seu melhor jogador com um fardo nas costas, faz questão de aliviar a "incumbência" dele e dos mais jovens. "Eles não precisam provar mais nada para ninguém. Na opinião do técnico do Brasil, eles são os melhores. E estão na Copa por isso. Eu os mantenho tranquilos."

Thiago Silva também vê Neymar no caminho certo. Apesar de chamá-lo carinhosamente de "moleque", o capitão entende que o atacante sabe qual é importância para a seleção e também nesta Copa. "No dia a dia, ele é um moleque muito tranquilo. Estou sempre com ele, e ele está sempre bem, cabeça tranquila, centrada no que tem de fazer. Ele tem muita capacidade de focar no seu trabalho." Neymar ainda joga pendurado com cartão amarelo. Se cair nas provocações chilenas e receber outro, ficará fora do jogo das quartas, caso o Brasil se classifique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.