Epitácio Pessoa/AE - 3/6/2011
Epitácio Pessoa/AE - 3/6/2011

Felipão em novo choque com a torcida

Técnico reclamou de Frizzo ter recebido visita de membros da organizada na Academia de Futebol

Paulo Favero, Jornal da Tarde

20 de setembro de 2011 | 10h47

SÃO PAULO - A relação estremecida entre Felipão e o vice-presidente Roberto Frizzo ganhou mais um capítulo. Após o empate com o Avaí, domingo, em Florianópolis, o treinador reclamou de o dirigente ter recebido a visita na Academia de Futebol de membros da torcida organizada. "Tem de perguntar quem levou os diretores da torcida dentro do CT", disse Felipão, sem dar mais informações sobre o episódio.

Frizzo realmente esteve com membros de um grupo chamado Famiglia Palestra e que já pertenceram à Mancha Verde, mas explicou que o contato foi apenas informal. Felipão viu aquilo como um gesto de pressionar o time e não gostou. Por isso tornou pública a visita.

O técnico conseguiu também desagradar à principal uniformizada do clube, a Mancha Verde, que não gostou das declarações do comandante.

André Guerra, presidente da organizada, diz que só visitou o CT quando Felipão pediu. "Ele não pode jogar o trabalho horrível que está fazendo neste ano nas costas da torcida. Ele tem de falar quem estava lá", afirma.

Guerra explica que todos no clube têm sua parcela de culpa e que não aguenta mais ver o Palmeiras nesta situação. "A gente está protestando pelo conjunto das coisas. Já perdemos duas vezes o Paulista, a Copa do Brasil, a Sul-Americana e o Brasileirão com o mesmo elenco. A torcida passa vergonha. Viaja quase mil quilômetros para apoiar o time e vê falta de comprometimento."

O goleiro Marcos, ídolo dos palmeirenses, entende o posicionamento da torcida, mas prefere pedir calma neste momento de frustração, até para não atrapalhar ainda mais o rendimento da equipe. "Eu vejo por aí a carência do torcedor, da falta que um título faz. A gente entende e concorda com a frustração deles, mas não é com pressão sobre os atletas que vamos ganhar alguma coisa ou os problemas serão resolvidos", disse.

O jogador acha que a equipe, que vem de cinco partidas sem vencer, pode voltar a ter bons resultados em breve. "Nós temos consciência das nossas responsabilidades e sabemos que precisamos dar um algo a mais, mas não é com pressão que isso vai acabar", comentou.

A pressão deve continuar nos próximos dias, ainda mais porque o Palmeiras está em queda livre na classificação. Mas, de qualquer forma, a torcida não quer a saída de Felipão do comando do clube. "A gente já fez todos os protestos possíveis e vamos continuar xingando quem a gente acha que tem de xingar. Mas não estamos pedindo a cabeça dele", lembra Guerra

Punição?

Paulo Schmitt, procurador do STJD, afirmou que vai ver as imagens do gesto obsceno de Felipão para a torcida para definir se cabe punição ao técnico.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasFelipãotorcida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.