Felipão espera Antônio Carlos até 2ª

Antônio Carlos tem prazo até segunda-feira para recuperar-se da luxação que sofreu no ombro direito no último jogo do Campeonato Italiano entre Roma e Parma. No caso de a contusão persistir, o zagueiro será cortado. O jogador, que se apresentou hoje na Granja Comary com o braço na tipóia, disse que está otimista apesar de ainda sentir fortes dores. Luiz Felipe Scolari elogiou a dedicação do jogador dizendo que os outros deveriam seguir o exemplo do beque. "Se eu não estivesse otimista não estaria aqui fazendo todo esse sacrifício, com esse tratamento de manhã, tarde e noite.Agora, se eu não passar no teste, vou ficar triste porque quero muito jogar a partida com o Uruguai." O zagueiro da Roma foi examinado pelo médico da Seleção, Rodrigo Lasmar, que também acredita na recuperação. "O Antônio Carlos foi submetido a um raio-x e foi constatado uma luxação leve. Vamos aguardar até segunda-feira para ver como ele vai reagir. É o nosso prazo limite. O jogador vinha de um tratamento precário desde domingo e ainda teve a viagem de avião da Itália para o Brasil. Aqui terá um cuidado especial", explicou o médico Lasmar. "Se não melhorar até segunda, a comissão técnica terá de convocar outro jogador. Essa é a hipótese que mais incomoda Antônio Carlos. Desde a conversa que teve com Luiz Felipe Scolari, antes mesmo de o técnico ser efetivado na Seleção Brasileira, o zagueiro sonhava com a volta ao time de uma forma triunfal. Na curta "era Leão", ele havia sido preterido. "Não fui lembrado pelo Leão, mas em nenhum momento deixei de acreditar que não voltaria para a Seleção. Tenho 32 anos e já vivi todas experiências no futebol", comentou o jogador. O seu retorno ao time do Brasil, garante, não tem ligação direta com o título italiano que ajudou a Roma conquistar. O que contou foi o seu desempenho no ano. "Não estou voltando à Seleção porque fui campeão. Voltei por tudo o que apresentei durante toda a temporada. O que me incomoda é me apresentar nessas condições". Se depender de Luiz Felipe Scolari, Antônio Carlos ganhou pontos importantes por não desistir da Seleção mesmo com o ombro machucado. "Esse é um exemplo que os outros devem seguir. Ele poderia muito bem me ligar, dizendo que estava contundido e que não poderia se apresentar à Seleção. Estou otimista, acho que essa dedicação e força de vontade vai ajudar na sua recuperação. Esse é um jogador com espírito de Seleção como a gente imaginava", disse Scolari. Lúcio, outro zagueiro que se apresentou machucado, corria risco de ser cortado, mas hoje foi liberado pelos médicos e amanhã deve treinar com bola.

Agencia Estado,

21 de junho de 2001 | 19h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.